Fábio Yabu, o criador das “Princesas do Mar” é de Santos

“Eu sempre imaginei o mar como um mundo misterioso, quase como se fosse outro planeta dentro do nosso.” (Fábio Yabu)
Fabio Yabu é escritor de livros infantis, criador de desenhos animados e roteirista de histórias em quadrinhos .
Nasceu na cidade de Santos (São Paulo), em 1979, e atualmente mora na cidade de São Paulo.
Em 1998 criou a série em quadrinhos online Combo Rangers, publicada na Web. Em 2000, a série migrou para o portal Zip.net, que depois foi absorvido pelo UOL.

Combo Rangers

Combo Rangers

“Os Combo Rangers foram a minha “estréia” no mundo dos personagens infantis. Quando tinha 17 anos, resolvi criar uma história em quadrinhos para a Internet, mais por brincadeira mesmo, para me divertir. Mas os personagens começaram a fazer muito sucesso, viraram revista em quadrinhos e até brinquedos. Foi uma época legal na minha vida”.
Em 2000, os personagens viraram revistas em quadrinhos, sendo publicado uma mini-série, em 3 partes, pela editora JBC, intitulada Combo Rangers Evolution.
Entre 2001 e 2002, a JBC publicou edições mensais durando 13 exemplares.
Em 2003 a editora Panini também publicou a série, durando 10 exemplares.
Veja as revistas no site da loja do Mania de Gibi !

Princesas do Mar

A história das Princesas do Mar, como o prórpio nome já diz, passa-se no mar, num reino encantado chamado Mundo da Salacia, nele vivem varias princesas. Neste reino os moradores sabem que não podem meter-se com os habitantes de terra firme, pois caso isso aconteça poderão ter de enfrentar grandes batalhas. As Princesas do Mar têm um site oficial onde é possível saber tudo sobre a série animada, sobre todos os personagens, brincadeiras, livros, bem como sobre o seu autor, e muito mais.

Como surgiu a idéia das Princesas do Mar?

Tudo começou com a criação da Polvina. Tinha em mente a imagem de uma menina com um polvo na cabeça e achei que ela merecia uma história. Passei a pesquisar tudo o que já havia sido feito nesta temática. Percebi que existiam arquétipos muito fortes a serem explorados, como rei, rainha, princesa, peixes que falam, e resolvi modificar um pouco estas imagens a partir de referências reais. Os reis e rainhas, por exemplo, não se vestem de maneira pomposa, mas sim, com roupas utilizadas por pais e mães do mundo real, como terno e gravata e vestidos. As coroas também são estilizadas, de acordo com cada espécie representada. Também fugi da idéia do tubarão malvado, que sempre aparece em outras histórias de fundo do mar. Não é porque os tubarões comem polvos que a Polvina e a Tubarina não seriam amigas.
As pessoas sempre me perguntam o que tem de diferente no Mundo de Salácia. O que os salinos fazem, onde gostam de ir, o que gostam de comer.
Bem, você deve imaginar que viver no fundo do mar é bem diferente de viver em Terra Firme. As cores, os gostos, cheiros e sabores são diferentes. Também existe muita riqueza e abundância para todos. Lá ninguém passa fome ou frio como no nosso mundo.
O segredo de tanta fartura não está na riqueza, pois Terra Firme também é um lugar repleto de tesouros. Está na partilha. Todos gostam de partilhar o que têm, como diz a segunda Lei de Salácia: “Praticar o bem, a boa vontade e a generosidade”.
Ninguém têm em excesso. As famílias reais são os que devem dar o exemplo para salinos e animais. Por isso, eles têm uma tradição: no Natal, as famílias dão todos os presentes que foram ganhados no ano anterior para os outros.
Tem Papai Noel? Tem, sim! Aliás, Papai Noel é um dos poucos que conhecem o Mundo de Salácia. Ele vive no Pólo Norte. Os Pólos são os lugares intermediários entre o Mundo de Salácia e Terra Firme. Não são um, nem outro.
Já que estamos falando dos pólos, lá longe, lonjão, do outro lado do mundo, no Pólo Sul, existe um Castelo Real. É lá que fica o Reino dos Pinguins, governado por seu rei e sua rainha, que são os pais da pequena Isa.
A Isa? Ah, a Isa é uma graça. Adora abraçar e beijar suas amigas, é super-simpática, gosta de dividir as coisas e é pra lá de inteligente. Mas tem uma coisa que a Isa não queria dividir com ninguém… e o mais estranho, foi bem no Natal!

Personagens de “As Princesas do Mar”

A série de livros Princesas do Mar foi editada no Brasil pela Panda Books. A série conta com seis livros:
“Princesas do Mar” (2004),
“Princesas do Mar – Uma sombra na água” (2006),
“Princesas do Mar – As Cartas de Vento” (2007)
“Princesas do Mar – Balada da Princesa Esquecida” (2009).
“Princesas do Mar – O Desafio dos Tubarões” (2010)
“Princesas do Mar – O Monstro do Fundo do Mar” (2010)

Além desses existem outros 4 para crianças em fase de alfabetização:
“Princesas do Mar – Mistério na Escola do Mar” (2008),
“Princesas do Mar – O Peixe Lendário” (2008),
“Princesas do Mar – Tartarugas em perigo” (2009)
“Princesas do Mar – O Pequeno Herói” (2009).

Em setembro de 2007, Princesas do Mar virou desenho animado. “Levamos os livros a uma feira na França e uma produtora australiana se interessou”, diz Yabu. A história chegou primeiro às TVs da Austrália. Agora, Polvina e suas colegas estão em 47 países e falam inglês, espanhol, alemão, francês, italiano… No Brasil, estrearam em março de 2008 no canal de TV por assinatura Discovery Kids e TV Cultura no Brasil, na América Latina também na Discovery Kids, em Portugal na RTP, na França no Piwi, na Alemanha no Ki.Ka e em mais 49 países. Yabu também escreve resenhas para filmes no site Omelete e possui um blog desde 2003 onde comenta sua vida, séries de tv e filosofia sobre outros temas. Hoje o blog é a sede do BBBonequinhos, “reality show” que imita o BBB com uma pitada de sitcom e tem como personagens bonecos de Yabu. A série começou com um pedido dos fãs e virou sucesso, ganhando até um patrocinador. Também é dono do blog “Mude o Mundo” onde se dedica a relatar fatos sobre o aquecimento global.
A editora On Line publicou a revista em quadrinhos PRINCESA DO MAR, durando 10 exemplares, entre 2009 e 2010.

Mania de Gibi

Enhanced by Zemanta

Projeto de turismo histórico-cultural estreia em Santos

Desenvolver um programa de turismo histórico-cultural e apresentar o sistema defensivo colonial do Porto de Santos. Esta é a finalidade do projeto ‘Circuito dos Fortes – Vertente Colonial’, que estreia nesta quarta-feira (21), às 14h, com um grupo de 20 alunos da Secult (Secretaria de Cultura de Santos).

A iniciativa visa levar, uma vez por mês, estudantes das escolas públicas a um passeio pela história do Brasil. Guias de turismo e monitores culturais acompanharão o grupo, que poderá ver de perto marcos arquitetônicos da nossa história cívico-militar, instalados no Centro Histórico e na Ponta da Praia.

O roteiro terá início com uma visita a Casa do Trem Bélico e caminhada pelo Centro da Cidade até a Alfândega. De lá, será feito um percurso marítimo pelo Porto de Santos, com desembarque na Fortaleza de Santo Amaro, onde os alunos conhecerão as curiosidades e fatos do local.

Realização: prefeitura de Santos. Apoios: Unisantos; Sociedade Visconde de São Leopoldo; Fundação Cultural do Exército Brasileiro; Sabor a Bordo; Central de Fretes – Transportes e Turismo; Fabiana – Transportes Marítimos e Agência Costeira.

Enhanced by Zemanta

Postos turísticos de São Paulo vão divulgar atrações santistas

As atrações turísticas da cidade serão divulgadas nas oito CITs (Centrais de Informações Turísticas) da capital paulista, mantidas pela empresa de turismo e evento SPTuris. Nesta segunda-feira (19), chegou a Santos o primeiro dos três grupos de assistentes de turismo (aqui denominados recepcionistas) que até o início do próximo mês conhecerão as atrações da cidade.

O grupo foi recebido pelo chefe do Departamento de Políticas e Produtos de Turismo da Setur (Secretaria de Turismo), Marco Antônio Francisco, que falou sobre os projetos locais. Segundo o analista de turismo e coordenador de projetos turísticos da SPTuris, “os CITs já indicavam Santos quando algum turista, sobretudo estrangeiro, demonstrava interesse pela praia, agora, porém, percebemos que há muito mais atrativos que estimulam uma visita à cidade”, disse ele, que durante a visita se surpreendeu com a paisagem do alto do Monte Serrat.

Novo estágio
Sem vir a Santos há cinco anos, Luciana da Conceição, considerou as atrações bem preservadas. “Santos já superou o estágio como destino de sol e praia e tem um fortíssimo potencial atrativo para os turistas”, afirmou.

Já Luciana Sinzato, da Coordenadoria de Atendimento ao Turista, elogiou a organização para atendimento de visitantes, inclusive com monitoria em outros idiomas.“Está tudo muito organizado”. Terça (20), os 11 integrantes do grupo visitaram o Museu do Café, a linha turística do bonde, o Memorial das Conquistas do Santos FC e o Aquário. O segundo grupo chega nesta quarta (21), e o último, nos próximos dias 2 e 3.

Enhanced by Zemanta

Museu do Café abre inscrições para cursos e palestras gratuitas

O Museu do Café de Santos, instituição da Secretaria de Estado da Cultura, inicia na última semana de março, projetos e seminários voltados a educadores de museus e institutos culturais, pesquisadores, historiadores e estudantes universitários. As atividades são gratuitas, com vagas limitadas, e se estenderão durante todo o ano. Os interessados devem se inscrever pelo telefone 3213-1750.

No próximo dia 28, Oliveiro Guerreiro Filho – engenheiro agrônomo, mestre em genética, doutor em ciências, e pesquisador do Instituto Agronômico de Campinas (IAC) –, palestra sobre o tema: “Circuito do Café: planta à xícara – ciência e tecnologia”.

A ação é destinada a pesquisadores, historiadores e estudantes e aborda questões como a influência do melhoramento genético na produtividade e qualidade, a produção de mudas em ambientes controlados, o preparo do solo, controle de pragas, colheita manual e mecanizada, processamento, beneficiamento, armazenamento, classificação, torrefação, moagem e preparo. A atividade, com vagas limitadas a 30 participantes, marca o início de uma série de três palestras relacionadas às linhas de pesquisa do Museu do Café.

Já no dia 30 será realizado o primeiro encontro do projeto “Assessoria de Educação em Museus”. Destinado a educadores de museus e institutos culturais, o curso prevê oito aulas, realizadas mensalmente até o mês de novembro, com total de carga horária de 45h. Entre os temas abordados estarão premissas, conceitos e técnicas de mediação, desenvolvimento de projetos e programas educativos, além de orientações sobre percursos, roteiros e materiais didáticos.

Comandada por Evandro Nicolau, educador e chefe da divisão técnico científica de educação e arte do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (USP), a atividade tem vagas limitadas a 30 participantes.

O Museu do Café fica à Rua XV de Novembro, 95, Centro Histórico. O horário de funcionamento é de terça-feira a sábado das 9h às 17h, e aos domingos entre 10h e 17h. Já a Cafeteria do Museu funciona de segunda-feira a sábado das 8h às 18h, e aos domingos entre 10h e 18h. Os ingressos para visitação custam R$ 5, estudantes e pessoas com mais de 60 anos pagam meia-entrada. Mais informações estão disponíveis em www.museudocafe.org.br.

Serviço

Palestra “Circuito do Café: planta à xícara – ciência e tecnologia”
Data: 28 de março (quarta-feira)
Horário: 10h
Local: Museu do Café
Preço: Grátis
Vagas: 30

Projeto “Assessoria de Educação em Museus”
Data: 30 de março (sexta-feira) – aula inaugural
Horário: 10h
Local: Museu do Café
Preço: Grátis
Vagas: 30

27º 10 KM Tribuna FM-Unilus abre inscrições nesta terça-feira

Com 16,5 mil vagas, 500 a mais que no ano passado, o 27º 10 KM Tribuna FM-Unilus abre as inscrições nesta terça-feira, dia 20. A prova será disputada no dia 20 de maio, pelas ruas de Santos, e desta vez, os atletas terão de se inscrever exclusivamente pela internet, no site www.triesportes.com.br. A taxa é de R$ 60,00, sendo que atletas acima dos 60 anos têm 50% de desconto e sócios do Clube do Assinante A Tribuna pagam R$ 55,00.

O percurso será o mesmo da edição 2011, com largada na Rua João Pessoa, no Centro, e chegada na Praça das Bandeiras, na Praia do Gonzaga, com os dois últimos quilômetros pela orla.

“Em 2011, nós testamos um novo percurso no Km 2, com o objetivo de reduzir o afunilamento de atletas. Com o sucesso do novo trecho, foi possível aumentar em mais 500 atletas este ano para atender a demanda”, explica Davidson Iuspa, coordenador geral do evento.

Uma das principais e maiores corridas de rua do Continente, a prova teve início em 1986, na época, grande, com 950 atletas. No ano seguinte, foram 400 participantes, depois 200 em 88 e novamente 400 nos dois anos posteriores. Em 91, 708 pessoas cruzaram a linha de chegada. Já em 92, a prova superou os mil competidores pela primeira vez, com 1.322 inscritos.

Depois disso, o crescimento foi significativo e já em 98 passava dos quatro mil corredores. Em 2004, uma marca emblemática, com 10 mil atletas. Depois, 11,5 mil em 2005, 12 mil em 2006, 14 mil em 2008, 15 mil no outros dois anos e 16 mil na edição passada.

“Sempre fomos crescendo com estrutura capaz de dar aos corredores toda a segurança, no percurso, na hidratação, atendimento médico. Sempre tudo muito estudado antes de cada decisão”, informa Marcos Clemente Santini, diretor presidente de A Tribuna.

Enhanced by Zemanta