Claudia Matarazzo na Pinacoteca

Repetindo o sucesso registrado em outras ocasiões em que a jornalista e escritora Claudia Matarazzo esteve em Santos, a sessão de autógrafos, marcada para o próximo dia 25 de abril, deverá ser bastante concorrida.

A partir das 19h30, a jornalista vai receber amigos e convidados no salão nobre da Pinacoteca Benedicto Calixto, para um coquetel de apresentação do livro Etiqueta sem Frescura (Planeta, 304 páginas, R$ 34,90).

O evento também tem um caráter solidário, já que parte da renda sobre a venda dos livros será doada para o projeto social da Associação de Ex-Alunos do Colégio Stella Maris.

O tom em todo livro segue numa linguagem informal, quase como uma conversa com o leitor. Traz situações comuns a homens e mulheres no mundo contemporâneo como festas, jantares, ambiente profissional e vida pessoal, com sugestões de comportamentos que resgatem a elegância e a civilidade nas relações.

“Etiqueta sem frescura”  vem recheado de dicas práticas de como receber em casa (e até como organizar recepções comuns, como churrascos e pizzas), como se sair bem em viagens e, ainda, conselhos especiais para lidar com amigos, namorados, chefes, companheiros de trabalho e crianças.

Destaque para a melhor forma de usar celulares, smartphones, rádios e outras ferramentas do mundo atual. Segundo a autora, é necessária uma pausa para se reconectar com os próprios desejos e prazer, o que pode parecer difícil para os mais jovens, que já cresceram sentindo esse ritmo frenético.

Sobre o uso de celulares, por exemplo, Claudia Matarazzo sugere algumas mudanças de atitude: “Pense no toque do seu celular: se você se envergonha dele em determinadas situações, quase certamente a escolha foi inadequada”, garante ela. “Controlar o volume do toque é tão importante quanto adequar o próprio volume de voz, então não grite”. Para quem não se desgruda do aparelho, a escritora orienta: “Não coloque o celular sobre a mesa de refeições. Desligue para não tocar. Levantar-se para atender nesse momento é tão inconveniente quanto inadequado”.

 

Etiqueta sem Frescura

Claudia Matarazzo

dia 25 de abril

a partir das 19h30

Pinacoteca Benedito Calixto

Avenida Bartolomeu de Gusmão 15 – Boqueirão

(13) 3288-2260

Último dia de embarque e desembarque de passageiros no Porto de Santos

Apesar de ainda faltarem algumas semanas para o fim da temporada, este domingo será um dia de despedidas. Isso porque será a última data com embarque e desembarque de passageiros. As operações serão feitas pelo navio MSC Armonia, que seguirá para a Europa.

Os demais 16 navios que fizeram paradas regulares na Cidade já partiram rumo ao exterior. Em trânsito, nesta estação, o Porto recebe um total de oito embarcações, incluindo o Asuka II, último navio a escalar no complexo, no dia 18 de maio. A embarcação trará um público apenas para conhecer a Cidade.

Juntos, todos os navios que passaram pelo cais santista desde o último dia 29 de outubro, quando a temporada começou, fizeram 273 escalas.

Há menos de um mês do encerramento oficial da temporada de cruzeiros 2011/ 2012, a estimativa é que 1,12 milhão de turistas vão passar pelo Porto de Santos, entre embarques, desembarques e trânsito, durante os 121 dias de operação. que trará um público apenas para conhecer a Cidade.

Os números da atual estação foram divulgados pela Concais, que administra o Terminal de Passageiros Giusfredo Santini. “Acho que é um número interessante (o de passageiros), pois mostra que estamos numa estabilidade de mercado”, analisou o diretor da empresa, Flavio Brancato, referindo-se ao pequeno crescimento verificado em relação à temporada anterior. O incremento foi de cerca de 1,5%.

Para o executivo, a estação foi “boa e sem intercorrências”, devido, sobretudo, às medidas adotadas pela companhia para melhorar o fluxo de turistas no terminal. “Obras executadas e investimentos em equipamentos trouxeram uma melhora na operação”, disse o diretor. Segundo ele, foram investidos R$ 4,5 milhões na instalação.

Entre as melhorias realizadas, está a montagem de uma nova sala de embarque com scanners e a adequação da área operacional externa, ampliada em quase 3 mil metros quadrados. A intervenção, ressaltou Brancato, aumentou o número de plataformas de ônibus, facilitando e ordenando a recepção dos veículos.

“A implantação pela Codesp de um bolsão de ônibus próximo ao terminal também permitiu um fluxo segmentado e programado. Conseguimos adequar o atendimento dos turistas. Foi um bom passo”.

Enhanced by Zemanta