Estação Rodoviária passa por ampla reforma

A Estação Rodoviária Jaime Rodrigues Estrela Jr. passa por ampla reforma estrutural, voltada para a melhoria das condições de acessibilidade. De acordo com a Prodesan, responsável pelos trabalhos, a conclusão dos serviços acontecerá até o final do ano.

A primeira etapa teve início mês passado, com a construção da base para a instalação de duas plataformas elevatórias, uma na frente da estação, na Praça dos Andradas, e outra na escadaria que dá acesso ao estacionamento dos ônibus. Os equipamentos serão entregues até o final de outubro. Paralelamente, ocorre a remoção e troca de todas as telhas do local.

Os sanitários também passam por intervenções. O objetivo é melhor atender aos usuários e oferecer plena acessibilidade. O diferencial será a criação de um fraldário no interior do banheiro feminino, contemplando um espaço com trocador para higienização de bebês.

Na semana que vem, mais três rampas de acessibilidade começam a ser construídas: uma junto à entrada principal e outras duas nas áreas de partidas e chegadas dos veículos rodoviários. Atualmente, existem rampas para o acesso dos cadeirantes nas laterais da edificação.

Com a finalidade de adequar a entrada de ônibus maiores, as placas de concreto que atualmente sinalizam as plataformas onde os veículos estacionam também serão adaptadas, a partir da próxima semana.

Segundo a Prodesan, no momento, estão isoladas apenas as áreas abaixo de onde as telhas estão sendo trocadas, nas extremidades da rodoviária. Conforme ocorrer a troca de telhas na área interna, os guichês serão remanejados, com aviso prévio aos passageiros.

Outras melhorias já foram feitas no terminal. As luminárias antigas foram substituídas por 60 lâmpadas com vapor metálico, um sistema que permite mais segurança, eficiência e maior luminosidade. No ano passado, as vias do entorno e de acesso ao local foram repavimentadas e a sinalização de solo revitalizada. A pintura dos espaços internos e da fachada também está em execução.

Jardins da orla: preparados para a primavera e admirados o ano inteiro

A primavera se inicia às 11h49 do próximo dia 22, e os jardins da orla estão sendo preparados pela prefeitura para ficarem ainda mais bonitos na estação das flores. Com sua rica combinação de árvores, plantas diversas, arbustos, flores e um gramado uniforme, a extensa área verde é admirada por munícipes e turistas não só pela beleza, mas também por seu tamanho.

Desde 8 de março de 2001 é reconhecida pelo The Guinness Book of Records (O Livro do Recordes) como o maior jardim frontal de praia do mundo. São 5.335m de comprimento, cobrindo 218.800 m² de área, com largura média de 45 metros.

Os cuidados ficam a cargo de sete equipes do Depav (Departamento de Parques e Áreas Verdes), vinculado à Secretaria de Meio Ambiente, formadas por jardineiros, podadores, ajudantes e microtatoristas que executam um trabalho minucioso e contínuo ao longo do ano. É no inverno que reformam os canteiros, introduzem novas mudas e fazem as podas de limpeza e de formação, retirando flores e galhos secos.

Todo o material cortado, inclusive a grama, volta para a terra como adubo, sem perder nutrientes. Ao mesmo tempo, formam uma cobertura que evita o crescimento de erva daninha. Periodicamente, são plantados novos lotes de mudas para incrementar e repor os canteiros de matrizes.

Para o encarregado de um dos grupos, Edmilson Lima Santos, de 65 anos, o jardim da orla faz parte de sua vida. “Tenho 47 anos de prefeitura e 25 deles dedicados aos jardins”, conta ele com a alegria de quem já poderia ter se aposentado, mas faz da profissão a sua realização pessoal.

Sinais

Quem passeia pelas alamedas já nota os sinais da próxima estação. São 920 canteiros, com mais de 70 espécies ornamentais, como lírios da paz, biris vermelhas, dracenas, pingos de ouro, paulistinhas, margaridas brancas e amarelas, crinuns brancos e coleus. São do tipo perene, mais resistentes ao clima da região, que apresenta umidade, salinidade e vento.

Os jardins da orla contam ainda com 853 árvores e 1.088 palmeiras. Segundo o engenheiro João Cirillo, chefe setor, caminhar pelo jardim é descobrir, a cada passo, tonalidades, texturas e aromas diferentes.

Diariamente, o aposentado Osvaldo Pereira Filho, o Vadinho, de 68 anos caminha desde o Aquário até o canal 3, e sempre se encanta com o jardim. Domerina Campos, de 80 anos, que é do mato Grsso do Sul, concorda: “é uma obra da natureza. Tem a interferência do homem, mas primeiramente a mão de Deus”. Os turistas Necy e Ataniel Rodrigues do Santos vieram de Porto Velho (Rondônia), e não se cansavam de tirar fotos do jardim santista. “Estamos impressionados com essa maravilha”, disseram.

História

A proposta de criar um jardim na praia de Santos nasceu em 1914, fruto de um estudo de urbanização desenvolvido pelo engenheiro sanitarista Saturnino de Brito. Começou a ser posta em prática em 1939, na gestão do prefeito Aristides Bastos Machado, de quem o jardim herdou o nome oficial. Nos anos 40 e 50, o espaço ganhou fontes, postos de salvamento e o Aquário Municipal. Posteriormente, sofreu alterações quando o prefeito Antônio Feliciano duplicou as avenidas da praia.

Enhanced by Zemanta

Ana Carolina no Mendes Convention Center

Endereço: Av. General Francisco Glicério, nº 206 – Gonzaga

Telefone: (13) 3228-7506

Santos convoca empresas para implantação das bicicletas públicas

Com o objetivo de incentivar ainda mais o uso das bikes, Santos anunciou a implantação do Sistema de Transporte Individual Sustentável de Pessoas através de bicicletas, conhecido como bicicleta pública, por período experimental de seis meses. O edital para as empresas interessadas foi publicado pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) na edição desta terça-feira do Diário Oficial.

Algumas cidades, como Paris, Barcelona e Toronto, possuem há algum tempo sistemas de bicicletas públicas, mas o serviço é pago. No Brasil, municípios como Rio, Sorocaba e São Paulo implantaram sistemas semelhantes.

bicicletas publicas Londres

Como funciona

O projeto santista consiste em compartilhar a utilização de bicicletas de forma gratuita, desde que o usuário esteja previamente cadastrado em site. A Companhia de Engenharia de Tráfego de Santos (CET) já definiu oito pontos com grande tráfego de ciclistas, onde haverá dez estações para retirada ou devolução das bikes. Inicialmente, a empresa contratada deverá disponibilizar 100 bicicletas para uso comunitário.

A princípio, a operação do sistema será diária, das 6h às 22h para a retirada da bicicleta e até as 24 horas para sua devolução. A utilização da bicicleta será permitida pelo tempo máximo de 30 minutos, sem cobrança de tarifa, e sua devolução poderá ser feita em qualquer uma das estações. Após 15 minutos, o usuário pode novamente retirar outra bicicleta, seguindo as mesmas normas.

O sistema funcionará com auto-atendimento, ou seja, sem necessidade de um intermediário, através de comando por meio de telefone celular/smarthphone ou cartão inteligente. Todo o sistema deverá ser instalado em até 30 dias após a assinatura do contrato. Segundo a Prefeitura, não haverá custos para a Administração e CET, assim como para os usuários que respeitarem as regras.

 

A Tribuna

Enhanced by Zemanta