João Pessoa e sua nova ‘cara’

O nome será o mesmo, mas o visual… Quanta diferença. O projeto de reurbanização da Rua João Pessoa, no Centro de Santos, promete cara nova e mais fluidez à principal via do Centro da Cidade. O pontapé inicial para a mudança foi dado ontem com a publicação do edital de aviso, com o objetivo de contratar a empresa que realizará as obras.

Os saltos altos presos no mosaico português da calçada estão com os dias contados, assim como a fila na esquerda formada atrás do carro embicando para estacionar na vaga de 45 graus. Da mesma forma como está sendo adotado em outras vias, a calçada da João Pessoa será de concreto liso e o estacionamento, ao longo da guia.

E as mudanças não param por aí. A ciclovia que, a princípio, havia sido descartada, agora é a principal confirmação no projeto de reurbanização da João Pessoa.

A estimativa é que em 45 dias o contrato seja firmado e a imagem da rua comece a se modificar a partir de janeiro. A previsão é que as obras tenham início no cais.

Esta primeira etapa do projeto, que envolve as obras da ciclovia, pavimentação e drenagem, está estimada em R$ 2,5 milhões e deverá durar, após o início, oito meses.

Ciclovia

A principal mudança na Rua João Pessoa estará no lado esquerdo da via e terá 1,9 metros de largura e quase dois quilômetros de extensão. A nova ciclovia começará na Praça dos Andradas e servirá de ligação com a ciclovia da Avenida São Leopoldo com a Perimetral. “Inicialmente, o anel seria fechado na Praça José Bonifácio, mas esse não era o caminho natural”, explica o presidente da Companhia de Engenharia e Tráfego de Santos (CET), Rogério Crantschaninov, justificando a opção pela João Pessoa.

A ciclovia traz, também, a oportunidade de fazer a rua ganhar mais vida. “Hoje a João Pessoa é árida. O projeto prevê mais árvores. A separação da calçada e da ciclovia será feita com buxinhos (arbustos) e, inicialmente, serão plantadas resedás”, afirma o secretário de Infraestrutura e Edificações, Nilson Barreiro. Lembrando, porém, que os ipês roxos também podem ser uma opção.

Estacionamento e fluidez

O estacionamento em 45 graus dará lugar ao estacionamento ao longo da via. “Hoje, o estacionamento da forma que está provoca muita lentidão nas faixas mais velozes. Vamos ganhar em fluidez”, garante Rogério. No entanto, a mudança acarretará redução no número de vagas.

“O Centro é realmente carente de estacionamento. Temos que buscar alternativas. Existe um plano de mobilidade urbana que aponta a viabilidade de um estacionamento subterrâneo. Seguir um caminho como este é inevitável”, avalia o presidente da CET.

A opinião do secretário de Infraestrutura é que não há perdas. “Não podemos considerar uma perda perto do benefício da ciclovia”.

Entre perdas e ganhos, perde também a calçada, passando de 3,70 metros para 2,40. “Mas, com isso, ganhamos, além da ciclovia, uma área de desembarque ao lado do estacionamento de 1,2 metro, que permite tranquilamente a acessibilidade para cadeirante”, explica Barreiro.
Corredor de ônibus

Os ônibus das 40 linhas municipais e as três intermunicipais que circulam na Rua João Pessoa terão um corredor exclusivo. Conforme Crantschaninov, ao contrário do que acontece em outros corredores na Cidade, este será de 24 horas.

 

A Tribuna

Enhanced by Zemanta

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s