Museu do Café realiza concurso para eleger o “Drink da Copa” da Cafeteria do Museu

1969257_749408385084177_2045242531_n

O vencedor terá a bebida comercializada durante todo o período da Copa do Mundo e receberá prêmios do
Museu e de seus parceiros

Depois de mais de 60 anos, a Copa do Mundo volta ao Brasil. E a ligação do esporte mais famoso do mundo
com o café vem de longa data. Na década de 60, os craques Pelé e Garrincha foram garotos-propaganda do
Instituto Brasileiro do Café (IBC). Na Copa de 82, a seleção brasileira era patrocinada pelo mesmo IBC e  jogou a competição com um ramo de café ao lado do escudo da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).
Este ano, o Museu do Café, instituição da Secretaria de Estado da Cultura, propõe uma programação para manter essa forte ligação.

No dia 24 de maio, data em que se comemora o Dia Nacional do Café, o Museu realiza o concurso cultural
“Drink da Copa”, uma competição que elegerá uma nova bebida composta por café e ingredientes brasileiros,
para ser comercializada na Cafeteria do Museu durante o período do Mundial. As apresentações serão
realizadas no espaço da Cafeteria, que receberá os baristas inscritos, jurados e o público para o início das
disputas às 10h30.

O drink será escolhido por quatro jurados profissionais e mais uma pessoa da plateia, após a apresentação de
dez baristas previamente selecionados. Os competidores, donos das três melhores bebidas, ganharão
prêmios do Museu e dos apoiadores do evento, o primeiro colado terá sua receita comercializada na Cafeteria
do Museu durante o período da Copa, como grande destaque do cardápio.

A escolha dos dez baristas para participarem da competição, no dia 24 de maio, será realizada após o período
de envio das receitas, entre os dias 17 de março e 28 de abril. Os interessados poderão baixar o regulamento
e a ficha de inscrição pelo site http://www.museudocafe.org.br e, após o final do prazo para o envio das receitas, os
jurados elegerão os dez finalistas que irão participar da disputa presencialmente.

No dia do concurso, os baristas serão avaliados em termos técnicos e sensoriais, como criatividade visual,
conhecimento do café e de seus métodos de preparo, temperatura da bebida, qualidade do café, equilíbrio e
escolha dos ingredientes, entre outros. Ao final, ganha quem tiver mais criatividade e a bebida mais saborosa.

O Museu do Café fica à rua XV de Novembro, 95, no Centro Histórico de Santos. Seu horário de
funcionamento é de terça a sábado das 9h às 17h, e aos domingos entre 10h e 17h. Entre novembro e março,

o Museu funciona também às segundas-feiras, das 9h às 17h. Os ingressos para visitação custam R$ 5,
estudantes e pessoas acima de 60 anos pagam meia-entrada. Já a Cafeteria do Museu funciona de segunda
a sábado das 9h às 18h, e aos domingos entre 10h e 18h. Outras informações estão disponíveis no site
http://www.museudocafe.org.br.

 

MTur lança campanha pelo preço justo no turismo

preco

Turismo a um preço justo. Este é o propósito da campanha “Jogo Limpo” que o MTur estreou nesta sexta-feira, dia 14, em suas redes sociais. Nesta primeira fase, o objetivo da ação é estimular viajantes a consumir de modo consciente produtos e serviços relacionados ao turismo. Entre eles, diárias de hotéis, bilhetes de companhias aéreas, tarifas de restaurantes e demais serviços, públicos e privados.

Para participar da campanha, o consumidor pode enviar textos e marcar fotos com as hashtags #JogoLimpo e #TurismoConsciente pelo Facebook, Twitter, Google Plus e Instagram. Para abrir a campanha virtual, o MTur elegeu o Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Com uma das mais belas e bem preservadas áreas verdes da cidade e cerca de 6.500 espécies o parque cobra do visitante apenas R$ 6 de entrada.

“Entendemos que os turistas exercem um papel determinante quando privilegiam aqueles que cobram justamente e se recusam a pagar preços abusivos”, diz o ministro Gastão Vieira. “Da mesma forma, entendemos que os empresários que cobram valores adequados merecem visibilidade. É uma forma, portanto, de premiar quem joga a favor do turismo brasileiro”, afirma.

A preocupação do Ministério do Turismo com o consumo consciente é antiga. Há dois anos a pasta passou a monitorar a oferta de leitos nas cidades-sede da Copa do Mundo. Em reunião recente com representantes das Secretarias de Turismo, estimulou investimentos em hospedagens alternativas, como albergues, cama e café e camping a preços acessíveis.

Na segunda etapa da campanha, será lançada uma cartilha de consumo consciente com dicas de viagem e contratação de serviços turísticos. Os empresários do setor também poderão aderir à campanha por meio de um selo do MTur com os dizeres “Eu Jogo Limpo”.

 

Rafael Massadar

 

Museu Pelé abre ao público em maio, garante secretário de Turismo

museupele

O Museu Pelé estará aberto ao público antes do início da Copa do Mundo. A garantia foi dada pelo secretário de Turismo de Santos, Luiz Dias Guimarães, ao participar do “Painel Regional Debates”, na segunda-feira (26), na TV Santa Cecília. “Vamos inaugurá-lo no início de maio. A obra em si, termina em janeiro. Aí, teremos mais três meses para preparar a museologia, que já está contratada também”.

Segundo ele, 75% das obras físicas estão concluídos e o governo municipal está empenhado em obter mais recursos junto à iniciativa privada e aos governos federal e estadual.  “Há uma projeção de ingresso de mais R$ 5 milhões em breve”, explicou.

Rota do Rei

Além do museu com o acervo do Rei do Futebol, Guimarães revelou que a cidade também terá o Roteiro de Pelé, um passeio turístico com locais importantes na história do Atleta do Século 20. “Vamos fazer um roteiro como o Roteiro do Neruda, no Chile. Estamos fazendo um inventário de todos os lugares que tem a ver com ele, como a barbearia onde corta o cabelo há anos”.

Mexicanos em Santos

O secretário confirmou que Santos tem grandes chances de receber a seleção do México durante a Copa. “Já tivemos vários contatos com a delegação mexicana e, de todas as que visitaram nossa cidade, foi a que demonstrou maior interesse em ficar aqui. O presidente da confederação foi muito categórico. Ele disse que, se forem classificados, Santos será a casa do México no Brasil”. O secretário acrescentou que a missão agora é torcer pela equipe daquele país. “Já nascemos mexicanos, tomando tequila”, brincou.

Benefícios para a cidade

Guimarães destacou também os benefícios que uma cidade terá ao sediar uma delegação estrangeira que vai participar da Copa do Mundo. “Em primeiro lugar, a visibilidade mundial que a cidade ganha. Durante 45 dias, Santos será notícia em todos os cantos. Em segundo, gera movimentação intensa na rede hoteleira e nos restaurantes. Mas o mais importante é o legado. Para as cidades-sede, a infraestrutura. Para as cidades-base, é a comunidade, especialmente o trade turístico, adquirir um novo patamar. Hoje, estamos capacitando centenas de pessoas em inglês e espanhol. A Prefeitura também está capacitando 600 profissionais, entre guardas municipais, agentes de trânsito e atendentes de pronto socorro, entre outros”, afirmou.

Luiz Guimarães informou também que a Prefeitura vem apoiando as iniciativas do Sindicato do Comércio Varejista e o de Bares e Restaurantes a promover a qualificação profissional dos funcionários, para melhorar a qualidade do serviço oferecido a turistas e moradores.

Jornal da Orla

Santos pode receber até três delegações para o evento

logo_copa

O “primeiro tempo” de Santos como candidata à cidade-base da Copa 2014 já está quase no fim. Afinal, a cidade se preparou para os catálogos de apresentação da estrutura urbana e turística para um dos CTS (Catálogo dos Centros de Treinamento para Seleções) e sete delegações, incluindo as da Inglaterra e da Alemanha, já visitaram as instalações. Tudo isso incluindo leitos, CT do Santos e a Vila Belmiro.

“A situação do processo de candidatura não começou agora. Para se ter uma ideia, o fato de termos um CT bem estruturado e um estádio como a Vila nos ajudou a ter a possibilidade de trabalharmos por duas candidaturas”, diz o secretário de Turismo de Santos e secretário executivo do Comitê Local para a Copa 2014, Luiz Dias Guimarães.
Se caso uma das seleções escolher a Cidade, após o dia 6 de dezembro de 2013 (data do sorteio das chaves da Copa do Mundo pela Fifa), ela poderá optar por um dos pacotes: o CT do Santos com o Hotel Mercure ou a Vila Belmiro com o Parque Balneário, como locais de treinos e hospedagem.

“Mas conseguimos pedir ao comitê uma possibilidade de flexibilidade de escolher o hotel e mudar o local de treino, e vice versa. O México demonstrou esse interesse e, como essa é uma das delegações que mais gostaram da cidade, queremos recebê-los bem”, ressalta. Mas Guimarães é cauteloso ao falar da possibilidade de duas seleções virem para Santos. “O importante é atender uma delegação muito bem. Não importa de onde seja”.

Visitas
Além das visitas das delegações, (leia quadro explicativo sobre as etapas da escolha das cidades-base), Santos já recebeu o ministro dos Esportes, Aldo Rebelo, que visitou o CT do Santos FC em meados do mês passado, e demonstrou convicção na escolha da cidade como uma das sub-sedes da Copa. Guimarães explicou que o Comitê se encontrou duas vezes com o presidente da CBF, José Marin. “Além de estreitar relações, atendemos as formalidades de cadastramento da cidade-base”.

logistica

Boqnews

Enhanced by Zemanta

Paulo Consentino transforma arenas e estádios em obras de arte

consentino

Paulo Consentino, artista santista tem, no futebol, a inspiração maior de seus trabalhos. É ele, por exemplo, que assina o mural que homenageia o centenário do Santos, pintado nos muros do CT Rei Pelé. A obra foi concluída em setembro, e já em outubro Consentino deu início a outra empreitada, mais uma vez relacionada ao futebol: transformar em arte as 12 arenas da Copa do Mundo do ano que vem e 18 tradicionais estádios do País. Nasceu assim a série “Arenas Brasileiras”, que deve ser apresentada ao público já a partir de março, em formato digital (para celular), posters e mini-posters.

Antes de iniciar a série, Consentino já possuía, em seu acervo, reproduções de estádios como Vila Belmiro, Pacaembu, Morumbi, Palestra Itália e Maracanã – redesenhados para o novo projeto. A boa receptividade das obras fez com que surgisse a ideia de colocar no papel as arenas do Mundial e palcos famosos do futebol brasileiro, como São Januário (Vasco), Ilha do Retiro (Sport), Laranjeiras (Fluminense), Couto Pereira (Coritiba), Ressacada (Avaí) Moisés Lucarelli (Ponte Preta), Barradão (Vitória) e até a Rua Javari (Juventus).

Do Mineirão (primeira obra a ser concluída) ao Maracanã (último a ser finalizado), as 12 arenas da Copa estão prontas. Nos traçados, de acordo com o artista, influências do grafismo, da arte urbana e do mundo pop. As cores chamam atenção, dando vida às arquibancadas vazias. Algumas pinturas já foram divulgadas pela rede social Facebook, e o retorno, segundo Consentino, tem sido positivo. O que o deixa otimista para aquela que será sua primeira mostra fora da Baixada – o trabalho também será exposto nas cidades-sede do Mundial.

O trabalho é desenvolvido em parceria com a Movilcom, empresa que atua na produção de conteúdo para celulares e responsável pela distribuição do material, não só na plataforma digital. Segundo o sócio-diretor da companhia, Lupércio Conde Júnior, o objetivo agora é reunir parcerias que viabilizem as exposições.

– Você até tem artistas que desenham alguns cartazes ligados a esporte, mas não há quase ninguém que trabalhe especificamente com o futebol. O Paulo é essa exceção, por isso o contatamos. Registramos um endereço eletrônico, o site para abrigar as obras já está em produção, e estamos em conversações com parceiros, que deem condições para viajarmos pelas cidades-sede com a série das arenas. Já estamos traçando um roteiro – explica.

– O futebol é uma forma de arte, uma expressão artística. Quando se deixa a arte acessível às pessoas, a gente desmistifica a barreira entre ela e o povo. A produção cultural não tem de ser elitizada. Ao contrário. Cada vez mais, no mundo de hoje, a produção artística deve ser dirigida ao grande público. Arte não é algo chato, formal ou careta. Lidando com um tema apaixonante (futebol), é uma receita que tem funcionado – conclui Consentino.

 

G1