Maestro Roberto Farias é homenageado no Projeto Tocando Santos

maestro-roberto-farias

O maestro Roberto Farias, coordenador dos Grupos Artísticos de Cubatão, será homenageado no próximo domingo (7) na 19ª edição do Projeto Tocando Santos. Será às 18h, no Teatro do Sesc/Santos (Rua Conselheiro Ribas, 136). O maestro receberá uma placa comemorativa da coordenação do Projeto.

A ideia é celebrar a contribuição musical do maestro Roberto, conhecido em todo o Brasil por difundir o repertório direcionado para banda sinfônica, tão importante para Cubatão e toda a Baixada Santista, de acordo com informações de Cláudio Fernandes, diretor técnico da Agência Metropolitana, que produz o evento. O Projeto já homenageou nomes como Almeida Prado e Gilberto Mendes em anos anteriores.

A homenagem acontece na noite de gala do “Tocando”, entre uma e outra canção da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal de São Paulo, que estará acompanhada pelo Coral Lírico Municipal, sob a regência do maestro Luis Gustavo Petri.

Maestro por vocação – Roberto Farias poderia ter sido engenheiro ou arquiteto se prevalecesse o conceito ditado à época de sua infância e adolescência. Mas o dom musical que aos 7 anos já demonstrava, mudou completamente a visão daqueles que ainda não o apoiavam na carreira artística. Músico de tradição evangélica – seu pai era pastor, amante das letras e músico autodidata – teve a formação musical através de professores particulares, e durante a escola primária ganhava destaque tocando hinos patrióticos e canções escolares ao trompete. Aos 11 anos fez seu primeiro arranjo musical.

Durante os primeiros anos da carreira, Farias já produzia o próprio repertório, transcrevendo arranjos completos e obras originais, em uma época em que não existiam arranjos para banda disponíveis no mercado. Da sua sólida formação como regente inspirou-se em nomes como Paul Bernard, Williams Nichols, Gerard Devos, Fábio Mechet e o célebre Eleazar de Carvalho. Vencedor de um grande número de concursos e campeonatos de bandas em nível regional, estadual e nacional, Roberto Farias foi um dos responsáveis pelo desenvolvimento da linguagem sinfônica no Brasil, a partir do momento que se vê envolvido com o projeto de profissionalização da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, da qual foi o diretor artístico e regente entre 1989 e 2000.

Por mais de 20 anos lecionou na Universidade Livre de Música Tom Jobim, hoje a Emesp – Escola de Música do Estado de São Paulo. Já foi regente convidado de várias orquestras brasileiras, acumulando, também, atuações no exterior como na Banda Sinfônica da Universidade da Pensilvânia, da Academia da Força Aérea Norte-americana, de Montevideu e da Província de Córdoba, na Argentina.


De volta onde tudo começou – Diretor de orquestra, regente coral e instrumentista, Roberto Farias atualmente é o coordenador dos Grupos Artísticos de Cubatão. Está à frente da Banda Sinfônica e Cia de Dança de Cubatão, Banda Marcial e Corpo Coreográfico, Grupo Rinascita de Música Antiga, Coral Zanzalá e Coral Raízes da Serra. Para ele, é uma grande responsabilidade e prazer comandar mais de 300 artistas, entre regentes, músicos, bailarinos e cantores, que fazem arte com paixão, tornando cada vez mais evidente a vocação artística de Cubatão, cidade que em que tudo teve início.

Prefeitura Municipal de Cubatão

Enhanced by Zemanta

Música por Cubatão acontece no Torto MPBar

musica show

A população de Cubatão enfrenta diversas dificuldades desde a enchente do último dia 22 que deixou mais de 250 pessoas desabrigadas. Sensibilizados por este problema, músicos de Santos farão uma apresentação nesta quinta-feira (7), a partir das 21h30, no Torto MPBar (Av. Siqueira Campos, 800), denominada “Música por Cubatão”.

Participam do evento as bandas “Digo e a New Gafieira”, “João Maria & Os Caras da Minha Rua”, “Arquivo Nacional” e o DJ Juba Garcia. O ingresso custa R$ 5,00 mais um quilo de alimento que será encaminhado a Cruz Vermelha, que está organizando o recebimento de donativos para as vítimas da tragédia.

Organizador do “Música por Cubatão”, o compositor e músico Daniel Mac Adden Júnior explica que os músicos de Santos, de uma maneira geral, estão sensibilizados com a situação das famílias de Cubatão. “Santos também é conhecida por ser a Terra da Caridade e da Igualdade. Nós músicos da Cidade estamos sensibilizados com o problema vivido pelos nossos vizinhos de Cubatão e queremos colaborar com as famílias que perderam tudo nesse desastre. Por isso surgiu essa ideia do show”, explica.

Todas as bandas irão fazer uma apresentação de cerca de 40 minutos. Mac Adden explica que nenhum músico irá receber para se apresentar: “ Estamos cobrando os R$ 5,00 para pagar os funcionários do bar que virão trabalhar”. Digo e a New Gafieira trará o melhor do samba-rock para a festa. João Maria & Os Caras da Minha Rua tocarão as melhores da MPB e a banda Arquivo Nacional tem em seu repertório clássicos dos anos 80 e 90.

Mac Adden agrade aos empresários Michel Pereira e Massal Ike a cessão gratuita do espaço para o evento. “O Torto MPBar é com certeza a casa de música mais tradicional e solidaria da Baixada Santista. Mostra que os empresários deste ramo tem consciência social o que é importante”.

O músico convoca o público para comparecer no evento. “Santista adora música de qualidade e conseguimos reunir um time de primeira. Esperamos que o público venha ser solidário e aproveite para ouvir música bem feita, com conteúdo, com nomes de peso como o João Maria, o Digo e a Arquivo Nacional, banda a qual tenho satisfação de fazer parte”, comenta Mac Adden, que também é compositor e guitarrista da banda Olhos de Carla, que possui um trabalho autoral reconhecido por todo o país.

Quem quiser tirar dúvidas ou colaborar com o evento, pode entrar em contato com Mac Adden pelo telefone (13) 78179457.

Enhanced by Zemanta

Banda Marcial de Cubatão apresenta Concerto “Viva a Música!”

banda-marcial-de-cubatao

Espetáculo acontece domingo (3/2), às 18h, no Emissário Submarino, em Santos. A entrada é gratuita

Depois de encantar o público, lotando um shopping de Santos por conta do seu belo som, a Banda Marcial de Cubatão agora apresenta outro espetáculo em Santos, desta vez no Emissário Submarino, no José Menino. É o Concerto “Viva a Música”, realizado no próximo domingo (3), às 18h, com entrada gratuita.

O espetáculo faz parte de uma programação de férias de Secretaria de Estado da Cultura. Uma estrutura especial com palco, som e iluminação estará disponível para receber a Marcial. “Viva a Música” reúne canções clássicas e populares, e, de acordo com o maestro Alexandre Felipe Gomes, a ideia é trazer toda a emoção de lindas melodias criadas por importantes nomes da música mundial.

Fazem parte do programa: “Saturday Night Fever”, canção-tema do filme Embalos de sábado à noite, dos Bee Gees; temas dos filmes “Flashdance” e “Jurassic Park”, composição esta do imbatível John Williams. Canções românticas também integram o repertório como “Love’s Theme”, de Barry White; “The Greatest Love of All”, interpretada por Whitney Houston, além de “Silver Quill” (Dale Harpham e Sammy Netisco). Há, ainda, as belas “Con te Partiro”, de Andrea Bocelli e a popular “Tico-tico no Fubá”, de Zequinha de Abreu, famosa na voz de Carmem Miranda.

Canções da música pop, sucesso entre a juventude, prometem agitar a plateia: “Bad Romance”, de Lady Gaga e “Chora, me liga”, composição de João Bosco e Vinícius, com arranjo do maestro Alexandre Felipe Gomes. A ideia é apresentar um abrangente repertório, transportando a todos por viagem através de diferentes eras musicais, demonstrando toda a qualidade técnica dos jovens músicos da Banda Marcial.

 

Informa Cubatão

Secretaria de Desenvolvimento Metropolitano reedita obra que registra importância e beleza da região da Baixada Santista

livro
No próximo dia 7 de dezembro, a partir das 19 horas, na Pinacoteca Benedicto Calixto, a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Metropolitano, por intermédio da Agência Metropolitana da Baixada Santista (Agem) e a Imprensa Oficial do Estado de São Paulo apresentam ao público a reedição do livro Patrimônio histórico, cultural e natural, obra que destaca a importância histórica de nove cidades do litoral paulista, bem como mostra a beleza natural e o valor cultural da região metropolitana da Baixada Santista. As cidades destacadas pela obra são Bertioga, Cubatão, Guarujá, Itanhaém, Mongaguá, Peruíbe, Praia Grande, Santos e São Vicente.

Os registros fotográficos dos monumentos históricos e arquitetônicos e da diversidade natural da região foram assinados por Marcos Piffer. Os textos concisos revelam cinco séculos de história da região metropolitana da Baixada Santista, com dicas preciosas para turistas, estudiosos, pesquisadores, gestores, e são de autoria de Taís Assunção Curi Pereira. O design da obra ficou por conta de Mônica Mathias.

Para cada cidade retratada há também uma apresentação breve, muitas das quais recheadas de conteúdo histórico, escrita por seus administradores: prefeitas e prefeitos. O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin; o secretário de Estado de Desenvolvimento Metropolitano, Edson Aparecido, o secretário-adjunto de Estado de Desenvolvimento Metropolitano e coordenador do Projeto Patrimônio histórico, cultural e natural, Edmur Mesquita; e o diretor-presidente da Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, Marcos Monteiro, entre outros, registraram nas primeiras páginas do livro as impressões sobre a obra e a sua importância para a cultura do País.

Da primeira cidade retratada – Bertioga –, o leitor verá descrito o canal; o Forte de São João; a beleza de suas praias; as trilhas, os rios, as vilas e a cultura indígena. São 22 páginas que poderão ser apreciadas com atrativo visual do mais alto apuro técnico.

Cubatão é o segundo município. O Largo do Sapo; a Biblioteca Municipal; a Vila Light, sua flora e fauna são mostrados de maneira a registrar o potencial de um dos mais importantes patrimônios históricos e arquitetônicos do Brasil: a estrada conhecida como Caminho do Mar, herança da época imperial.

As 26 páginas seguintes são dedicadas a Guarujá. O moderno e o rústico são retratados para mostrar a beleza da localidade, com suas 27 praias, que somam mais de 22 km de extensão, apresentando características bem variadas. A obra traz informações preciosas para quem pretende conhecer a cidade.

O centro histórico de Itanhaém; a Casa do Olhar Benedicto Calixto; a Biblioteca Poeta Paulo Bomfim e tantos outros espaços foram fotografados e compõem essa obra que mostra a riqueza da cidade. São 20 páginas com muita cor e conteúdo descritivo da história local.

A beleza do Parque Turístico Ecológico de Mongaguá está registrada nas páginas dedicadas a esta cidade, que também conta com uma rica zona rural. Há muitas alternativas de passeios ecológicos, como o Poço das Antas às margens do Rio Mongaguá. Para aqueles que quiserem saber mais sobre a história da cidade, o endereço é a Casa da Memória, espaço cultural que reúne grande acervo de fotografias, arte sacra e documentos.

A história, a beleza e a riqueza de Peruíbe ilustram 22 páginas desta obra que faz um traçado completo da cidade, que se orgulha de ter sob seus domínios parte da Estação Ecológica Jureia-Itatins, com 80 mil hectares de Mata Atlântica preservados. Monumento histórico-cultural de importância nacional, as Ruínas do Abarebebê são originárias de uma das primeiras igrejas construídas pelos jesuítas no Brasil, no século XVI. Foto de parte dessa ruína compõe a capa deste livro.

Muito popular entre os paulistanos, a Praia Grande tem papel de destaque no cenário econômico da região metropolitana da Baixada Santista. O leitor poderá mergulhar na história da cidade e conhecer os pontos turísticos principais, sua força cultural e importância ambiental.

A cidade de Santos foi detalhadamente registrada, dada a sua importância para toda a região. Quarenta e seis páginas, com muita ilustração e texto mais robusto, contam a história de diversos monumentos, espaços, lugares, bem como a sua flora e fauna.

A última localidade a ser retratada é São Vicente. O Parque Cultural Vila de São Vicente, a Casa Martim Afonso, o Monumento ao Centenário da Fundação de São Vicente, a Igreja Matriz, a Biquinha de Anchieta e tantos outros lugares estão registrados em Patrimônio histórico, cultural e natural. Uma viagem ao tempo pode ser feita por meio das 20 páginas dedicadas à cidade mais antiga do nosso País.

Patrimônio histórico, cultural e natural

Noite de Autógrafos
Quando: sexta-feira (7), às 19 horas
Onde: Pinacoteca Benedicto Calixto, à Av. Bartolomeu de Gusmão, 15
Preço: R$ 90,00 (capa dura) e R$ 70,00 (brochura)

 

Boqnews

Enhanced by Zemanta

3º Passeio Cicloturístico em Santos

 O 3º Passeio Cicloturístico Rota Márcia Prado, que irá acontecer no dia 10 de dezembro próximo terá seu ponto de chegada em Santos A saída está prevista para às 7 horas, da ciclovia da Marginal Pinheiros, junto a Estação Vila Olímpia, da CPTM, em São Paulo, passando pela área de proteção ambiental Bororé, Colônia, São Bernardo do Campo, Parque da Serra do Mar, Cubatão e chegada em Santos.
Segundo os organizadores, o percurso é de aproximadamente 100 quilômetros. Os ciclistas participantes encontrarão a maior parte do trajeto em ruas asfaltadas, mas há cerca de 20 quilômetros em ruas de terra.

A última etapa do trajeto consiste da saída do Parque em Cubatão até a cidade de Santos, um trecho de 21 km. Mesmo o trajeto de litoral foi pensado em evitar com que o ciclista pedale em rodovias, portanto o trajeto será feito por ciclovias e vias de apoio a Anchieta até a cidade de Santos.
A partir de Cubatão o trajeto é totalmente plano, com subidas apenas nas travessias de pontes e viadutos.
A chegada em Santos será no Emissário que fica ao lado direto dos quiosques do canal 1.
É fácil de chegar !!
No canal 1, entrando na ciclovia a direita, pedalando por mais 1 minuto, o ciclista avista o Emissário do lado esquerdo. E a grande surpresa do final , é que quem fizer a rota e chegar até o Emissário ganhará um certificado de conclusão da Rota Márcia Prado.

O evento é promovido pelo Instituto Ciclobr de Fomento e Mobilidade Sustentável, que criou o trajeto inspirado no trajeto da última viagem realizada pela ciclista Márcia Prado. O objetivo é sensibilizar autoridades para a criação de um meio atraente e seguro para o ciclista de outras regiões chegar ao Litoral Paulista.

Fonte: Ciclobr
Enhanced by Zemanta