As cores do Valongo

Azul, vermelho, verde e mostarda.Uma verdadeira paleta de cores que tem atraído olhares na rua Alexandre Gusmão na entrada da cidade. O que era cinza encardido ganhou vida. A construção do Complexo Comercial e Hoteleiro do Valongo tem como plano construir 329 salas comerciais, 228 apartamentos e revitalizar fachadas de imóveis ao redor. A obra que está sendo erguida pela Odebrecht na confluência das ruas Marquês de Herval e Cristiano Otoni – próximo a futura sede da Petrobrás -, tem animado moradores.

A partir do primeiro fim de semana de setembro, será aberta a visitação ao empreendimento.

 

A Tribuna

Revista de arquitetura destaca projeto ‘`Porto Valongo Santos’

‘O urbanismo na nova onda santista’ é o título da matéria da revista Projeto Design, edição de junho, segundo a qual Santos vive pleno desenvolvimento urbano com a revitalização portuária. Referência na área de arquitetura, design e interiores comerciais, a publicação da Arco Editorial destaca em duas páginas o projeto da prefeitura ‘Porto Valongo Santos’, que transformará a área dos armazéns 1 a 8 do cais em complexo turístico, náutico, cultural e empresarial.

A reportagem menciona ainda os estudos de viabilidade técnica, econômica, social e ambiental desenvolvidos pela empresa Ove Arup & Partners, contratada por meio de licitação internacional, apresentados pela prefeitura no final de abril. Terminal de cruzeiros, marina, centro de negócios, escritórios, hotéis, bares, restaurantes, galerias de arte, museu e espaços para feiras e eventos são citados no texto.

O texto aponta a futura instalação do Instituto Oceanográfico da USP no armazém 8, cedido pela Codesp, e o Complexo Comercial e Hoteleiro do Valongo, a ser implantado pela Odebrecht em terreno na confluência das ruas Marquês de Herval e Cristiano Otoni, próximo à futura sede da Petrobras.

Ao colocar que Santos seguirá o modelo de revitalização de áreas portuárias do Canadá, Cingapura, Japão, China, Espanha e Estados Unidos, a reportagem revela que a cidade “deverá colher no futuro os bônus da exploração do petróleo da camada do pré-sal” e que “novos empreendimentos imobiliários e a instalação de equipamentos culturais prometem incrementar as opções de moradia, negócios e lazer”.

Prefeitura e construtora apresentam complexo comercial e hoteleiro no Valongo

Santos vai ganhar novo cartão-postal: o Complexo Comercial e Hoteleiro do Valongo, a ser construído pela Odebrecht em terreno de 3.892 m², localizado na confluência das ruas Marquês de Herval e Cristiano Otoni, próximo à futura sede da Petrobras, nesse bairro do Centro Histórico. Primeiro empreendimento em hotelaria na área abrangida pelo programa de revitalização Alegra Centro, o projeto foi apresentado na tarde desta segunda-feira (14) no salão nobre da prefeitura.

Com 2.160m² de área construída, ele contempla duas torres (denominadas ‘asas’ em função de sua arquitetura) com 21 pavimentos, que abrigarão 329 salas comerciais de 42 a 115 m² e um hotel Ibis, da rede francesa Accor, dotado de 240 apartamentos. O complexo terá 479 vagas para veículos e lojas.

Para o prefeito João Paulo Tavares Papa, o projeto chega em momento estratégico, dando novo impulso ao ‘Alegra Centro’. O programa é considerado por órgãos de proteção do patrimônio com um dos mais bem-sucedidos do país na área de revitalização histórica. O prefeito lembrou o processo de instalação da Petrobras no Valongo, destacando que o sucesso do ‘Alegra Centro’ está nas ações do poder publico e na atração de investimentos da iniciativa privada.


Novo perfil
O secretário de Assuntos Portuários e Marítimos, Sérgio Aquino, afirmou que o projeto da Odebrecht é “o primeiro grande complexo da região central que mudará o perfil do Valongo”.

Acrescentou que o projeto Porto Valongo Santos , de revitalização da área dos armazéns 1 a 8, a mais antiga do porto, representa R$ 513 milhões em investimentos do setor privado na construção de um complexo de lazer, náutico, centro de negócios, bares, restaurantes, galerias de arte e Instituto Oceanográfico da USP, entre outros. Esse investimento não inclui a construção de um terminal de cruzeiros marítimos para três navios das maiores dimensões que hoje estão sendo construídos no mundo.

O secretário de Planejamento, Bechara Abdalla Pestana Neves, também presidente do CAP (Conselho de Autoridade Portuária), destacou que o projeto da construtora chega no momento em que o Alegra Centro marca importantes resultados. “O número de imóveis vazios foi reduzido em 60% , registramos 490 restaurações e um incremento de 65,5% nos negócios na região central da cidade.”

Importância
Marcelo Arduim, diretor da regional da Odebrecht em Santos, afirmou que a empresa vinha estudando a proposta há um ano. “Queríamos um projeto emblemático”, A obra criará até 350 postos diretos de trabalho e, para cada um deles, de três a quatro indiretos. “Só de ISS (Imposto Sobre Serviços), o município arrecadará R$ 1 milhão”.

O arquiteto do projeto, José Luiz Lemos, detalhou a proposta e disse que as duas ‘asas’ oferecerão vistas para o mar, montanha e cidade. Viviene Boverio, gerente de Desenvolvimento Brasil da Accor, afirmou que o “Ibis e Mercure, também da empresa, vêm registrando, em Santos, uma ocupação acima da média no Brasil, com 80 a 82%, chegando a alcançar 100%. Isso mostra como a cidade se insere hoje no contexto nacional”.

Enhanced by Zemanta