Oficina Cultural Pagu Apresenta Novos Cursos 2014

Oficina Cultutal logo

A partir do dia 7/1 ( terça feira) estão abertas as inscrições para os novos cursos da Oficina Cultural Pagu e nas cidades parceiras.Toda a programação é gratuita e está disponível no site:http://www.oficinasculturais.org.br/ e segue abaixo para consulta . Os interessados poderão inscrever-se pelo email: pagu@oficinasculturais.org.br ou pessoalmente no endereço da sede: Rua Espírito Santos , 17 – Campo Grande – Santos – de 2a a 6a feiras das 14h ás 20h. Maiores informações pelos telefones: 3219 2036 / 3219 1741.

OFICINA CULTURAL PAGU

PROGRAMAÇÃO JANEIRO A MARÇO DE 2014

AUDIOVISUAL

WORKSHOP: DESENVOLVIMENTO DE OLHAR E A CRÍTICA CINEMATOGRÁFICA
Coordenação: Celso Sabadin
22 e 29/3 – sábados – 14h às 17h30
Público: profissionais da área audiovisual, estudantes de cinema, TV ou jornalismo e apreciadores de filmes, acima de 14 anos
Inscrição: 7/1 a 18/3
Seleção: carta de interesse
20 vagas

O workshop tem por objetivo despertar olhos, ouvidos e percepção do participante para a obra cinematográfica. Como ver um filme com outros olhos? O que perceber? Como perceber? Como interpretar? Como extrair o máximo da experiência cinematográfica e aproveitar a vivência na elaboração de uma crítica cinematográfica?

Jornalista e crítico de cinema há mais de 30 anos, Celso Sabadin escreve para os portais Planeta Tela e 100% Vídeo, para o Jornal ABI e para a Revista de Cinema. Atuou como crítico cinematográfico na CBN, Rádio Eldorado, TV Gazeta, TV Cultura, Folha da Tarde, revistas Claudia e Vídeo Mercado. Foi apresentador da Rede Bandeirantes, Band News e Canal 21, cobrindo diversos festivais nacionais e internacionais de cinema. Autor de três livros sobre cinema e diretor do longa “Mazzaropi”.

CARNAVAL

PROJETO “CAIA NA FOLIA COM A PAGU”
“Momentos de recordação, criatividade e celebração do reinado de Momo”
Projeto especial de integração da nova sede da Oficina Cultural Pagu com o bairro do Campo Grande em Santos. Serão atividades que valorizam as folias carnavalescas de rua e envolvem os apreciadores com oficinas de máscaras, confecção de cabeções e bonecões, fotografia e exposição de carnaval, e finaliza com a saída em desfile da banda do bloco tradicional Bando do Corisco, que homenageará a jornalista Patrícia Galvão, a Pagu, em plena rua Espírito Santo onde está localizada a sede da unidade.

► OFICINA DE MÁSCARAS “EXPRESSANDO AS FACES DE PAGU”
Coordenação: Maria Fernanda Fragoso
23/1 a 18/2 – terças e quintas- feiras – 14h30 às 17h30
Público: artistas plásticos, estudantes de artes e demais interessados na área acima de 13 anos
Inscrição: 7 a 23/1
Seleção: primeiros inscritos
15 vagas

A oficina terá como tema de inspiração a vida e obra de Patrícia Galvão, a Pagu. Serão desenvolvidas diversas técnicas de produção e confecção de máscaras, com base em pesquisas sobre a escritora e de informações sobre a função cultural da máscara nos âmbitos artístico, histórico, social e antropológico.

Maria Fernanda Fragoso é formada pela Universidade Santa Cecília, com licenciatura em Educação Artística e Artes Plásticas. Trabalha como orientadora de projetos de artes plásticas e educação ambiental para crianças, jovens e adultos. Desenvolve cenários e figurinos para grupos teatrais e blocos carnavalescos.

► MAMULENGOS: OFICINA DE CONSTRUÇÃO DE BONECÕES E CABEÇÕES
Coordenação: Mauro Fecco
27/1 a 18/2 – segundas e terças-feiras – 14h30 às 17h30
Público: artistas plásticos, estudantes de artes e demais interessados na área acima de 17 anos
Inscrição: 7 a 27/1
Seleção: primeiros inscritos
15 vagas

Nesta oficina, o participante vai se deparar com o universo brincante da folia, ao confeccionar – por meio de técnicas de estruturação e papietagem – e manipular cabeções e bonecões, os populares mamulengos dos blocos tradicionais de carnaval e das festas típicas regionais do Brasil.

Mauro Fecco é artista plástico, bonequeiro, cenógrafo e músico. Integrou o grupo Paca Tatu, de teatro de animação, e o Trio Kaanoa, de canções populares e cultura caiçara. Hoje faz parte do grupo Fuá de Moitará, que realiza trabalhos de difusão e pesquisas folclóricas sobre ritmos brasileiros. É diretor de arte do bloco de rua Bando do Corisco.

► EXPOSIÇÃO “CARNAVAL, QUEM LEMBRA?”
29/1 a 28/2 – terça a sexta-feira – 14h às 20h | sábados – 14h às 17h
Parceria: Secretaria Municipal de Cultura de Santos e Fundação Arquivo e Memória de Santos

A Oficina Cultural Pagu, em parceria com a Fundação Arquivo e Memória de Santos e a Secretaria Municipal de Cultura, apresenta a exposição fotográfica “Carnaval, quem lembra?”, que traz painéis dedicados aos famosos blocos de carnaval da cidade, extintos na década de 1990: são imagens de corsos, bailes, desfiles, festas nas ruas, concursos de fantasias e do célebre Rei Momo santista, Waldemar Esteves da Cunha.

► WORKSHOP DE FOTOGRAFIA: “EXPRESSÕES: UM OLHAR SOBRE O CARNAVAL”
Coordenação: Karen Ritchie
4 a 25/2 – terças-feiras – 19h às 21h30
Público: fotógrafos, estudantes de jornalismo e artes visuais e demais interessados acima 16 anos.
Inscrição: 7 a 31/1
Seleção: currículo breve e carta de interesse
20 vagas

A partir da discussão sobre as diferentes formas de captação e montagem de imagens, o workshop tem como proposta motivar os participantes a capturar expressões além do que os olhos podem ver. Com as lentes voltadas ao tema proposto – Carnaval –, o participante fará seu registro individual, peculiar e perceptivo da folia e do ambiente festivo.

Karen Ritchie é publicitária e fotógrafa com experiência de mais de 15 anos na área. Foi editora de imagens em produtoras de comerciais e na TV Mar. Atua na área da fotografia social, sendo especialista em retratos, tanto de estúdio e quanto de sessões externas.

► BANDA DO BANDO DO CORISCO: HOMENAGEM A PATRICIA GALVÃO, PAGU
18/2 – terça-feira – 19h
Classificação: livre

Concentração: Rua Espírito Santo, 87 – Campo Grande

Trajeto: Rua Espírito Santo (parada em frente à Oficina Cultural Pagu); Rua Pará; Rua Augusto Paulino; Rua Almirante Barroso; retorno à Rua Espírito Santo.

O Bando do Corisco é um bloco tradicional que sai às ruas nos dias que antecedem o Carnaval, homenageando anualmente figuras ilustres, com marchinhas bem-humoradas, bonecões, cabeções, adereços e fantasias. Em 2014 o Bando do Corisco homenageará a jornalista Patrícia Galvão, por sua história e pela contribuição ao movimento cultural santista.

TEATRO

OFICINA DE DRAMATURGIA: PENSAMENTO E PRÁTICA PARA NOVOS AUTORES
Coordenação: Bruno Fracchia
6/2 a 27/3 – quintas-feiras – 18h45 às 21h45
Público: escritores, estudantes de artes cênicas, letras e jornalismo, artistas e demais interessados na área acima 16 anos
Inscrições: 7/1 a 2/2
Seleção: carta de interesse
15 vagas

A oficina apresenta a seus participantes conceitos fundamentais da dramaturgia clássica (como ação, fábula, clímax, conflito, progressão, diálogo, personagem etc.) e matrizes da escrita teatral contemporânea, fornecendo-lhes deste modo ferramentas para serem aplicadas na feitura de cenas curtas (e que poderão, posteriormente, se tornarem peças completas).

Bacharel em Teoria Teatral pela USP, Bruno Fracchia é ator, diretor e roteirista. Autor de “Entre Dentes”, peça encenada pelos Parlapatões no Festival do Minuto, e um dos colaboradores no roteiro de “Fina Estampa”, novela de Aguinaldo Silva. Atualmente está em cartaz com “Algumas Histórias”, espetáculo do qual é dramaturgo, ator e produtor.

OFICINA “O CLOWN DENTRO DE MIM?!”
Coordenação: Joana Barbosa
10 a 31/3 – segundas-feiras – 18h45 às 21h45
Público: atores, estudantes de teatro e circo e demais interessados acima de 16 anos
Inscrição: 7/1 a 10/3
Seleção: primeiros inscritos
20 vagas

A oficina apresentará a menor máscara do mundo – o nariz vermelho, para iniciar os participantes na linguagem cênica do palhaço, por meio de dinâmicas individuais e coletivas, jogos e improvisações.

Joana Barbosa é atriz, arte-educadora e palhaça, graduada em Psicologia pelo Mackenzie, com formação técnica em Artes Cênicas pela Escola Macunaíma e especializada no método de Jacques Lecoq de Teatro Físico pela International School of Performing Arts, em Londres.

ATIVIDADES NA REGIÃO

BERTIOGA

TEATRO

OFICINA DE INTERPRETAÇÃO: AS AÇÕES FÍSICAS – O MÉTODO DA ANÁLISE ATIVA
Coordenação: Bruno Fracchia
21/1 a 25/2 – terças-feiras – 19h às 22h
Público: atores, estudantes de teatro e demais interessados acima de 15 anos
Inscrições: 7 a 21/1
Seleção: primeiros inscritos
20 vagas
Local: Casa da Cultura: Avenida Thomé de Souza, 130 – Centro – Bertioga (SP)

Esta oficina tem o objetivo de demonstrar a prática das ações físicas como elemento essencial do trabalho criativo do ator, ligando as fontes históricas e estéticas dessa abordagem metodológica ao conceito contemporâneo de atuação. Como forma de ampliar e reconhecer as potencialidades expressivas dos participantes, o trabalho prático envolverá treinamentos de corpo e voz e criação de cenas a partir de textos não teatrais.

Bacharel em Teoria Teatral pela USP, Bruno Fracchia é ator, diretor e roteirista. Autor de “Entre Dentes”, peça encenada pelos Parlapatões no Festival do Minuto, e um dos colaboradores no roteiro de “Fina Estampa”, novela de Aguinaldo Silva. Atualmente está em cartaz com “Algumas Histórias”, espetáculo do qual é dramaturgo, ator e produtor.

CUBATÃO

LITERATURA / TEATRO

WORKSHOP DE CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS
Coordenação: Nalva Leal
1/2 a 8/3 – sábados – 14 às 18h
Público: educadores, agentes culturais, estudantes e demais interessados de todas as idades
Inscrição: meia hora antes de cada encontro
Seleção: primeiros inscritos
20 vagas por sábado
Local: Parque Anilinas: Avenida Nove de Abril, 2275 – Centro – Cubatão (SP)

Este projeto se propõe a divulgar a contação de histórias ao público de forma abrangente, e incentivar a apropriação de formas diversas de narração oral. Dessa forma, a atividade tem por finalidade o incentivo ao surgimento de novos contadores e, também, a formação de público para esta arte milenar.

Nalva Leal, formada em Letras pela Unisantos, é contadora de histórias desde 1993. Coordenou o I e II Encontro Regional de Contadores de Histórias de Cubatão, participou da II Feira Nacional do Livro na Baixada Santista e apresentou-se em diversos espaços culturais, bibliotecas e programas na TV.

GUARUJÁ

CIRCO

OFICINA DE INICIAÇÃO ÀS ARTES CIRCENSES: ACROBACIAS DE SOLO E MALABARES
Coordenação: Dyego Yamaguishi
22/1 a 26/3 – quartas-feiras – 14h às 17h
Público: atores, ginastas, estudantes de artes cênicas e demais interessados acima de 13 anos
Inscrições: 7 a 21/1
Seleção: primeiros inscritos
20 vagas
Local: Secretaria de Cultura: Avenida Presidente Vargas, 266 – Vicente de Carvalho – Guarujá (SP)

Oficina prática voltada aos números de acrobacias de solo e malabares (bolinhas, aros e claves), que serão desenvolvidos por meio de técnicas e exercícios de domínio corporal, equilíbrio, coordenação, força e flexibilidade, atentando-se para o estímulo criativo à linguagem artística do circo.

Malabarista, acrobata e ator, Dyego Yamaguishi criou, com Karen Vida, o Les Dumbs, que estuda a arte circense contemporânea com destaque às acrobacias em dupla. O Les Dumbs circula pela região em festivais, mostras e projetos culturais; com o número “Sorrow”, a dupla conquistou o primeiro lugar no II Desafio Acrobatividade na Corrente Cultural de Curitiba, em 2013.

PRAIA GRANDE

ARTES PLÁSTICAS

OFICINA DE CERÂMICA
Coordenação: Eliana Paschoalito
28/1 a 26/2 – terças e quartas-feiras – 14h às 17h30
Público: interessados acima 14 anos
Inscrições: 7 a 28/1
Seleção: primeiros inscritos
15 vagas
Local: Palácio das Artes: Avenida Presidente Costa e Silva, 1600 – Boqueirão – Praia Grande (SP)

Oficina básica de cerâmica, especialmente voltada a pessoas que nunca ou pouco tiveram contato com esta arte. Serão experimentadas várias técnicas de modelagem (direta, por rolo, por placas, prensagem, tratamento e texturização de superfícies etc.) para a realização de esculturas e painéis.

Eliana Paschoalito, artista plástica com pós-graduação em Design e Decoração pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo, trabalha com cerâmica, pedra-sabão e ikebana.

SÃO VICENTE

MÚSICA

OFICINA DE HIP HOP “PEQUENOS RAPPERS MC’S”
Coordenação: Brunão Mente Sagaz
24 a 28/2 – segunda a sexta-feira – 14h às 16h
Público: interessados entre 13 e 17 anos
Inscrições: 7/1 a 21/2
Seleção: primeiros inscritos
20 vagas
Local: ONG Frutos do Amanhã: Rua Vitor Torquato dos Santos, 753 – Parque das Bandeiras – São Vicente (SP)

A oficina apresentará a história do movimento hip hop e os diferentes estilos de rap, com análise de letras e atividades de criação de rimas e composições, com ênfase em temas ligados à realidade social dos participantes.

Brunão Mente Sagaz começou sua carreira musical em 2006. Lançou em 2010 “Rap Nacional Efikaz” e está finalizando seu segundo CD, “Eles disputam minha alma mas sou eu que escolho a quem eu entrego”. É militante e representante do Movimento Hip Hop na Promoção da Igualdade Social da Baixada Santista. Apresentou-se em eventos como o 3º Encontro Nacional da Nação Hip Hop, em São Vicente, e o 1º Hip Hop in Concert na Virada Cultural Paulista, na Praia Grande.


Governador anuncia reforma da Cadeia Velha de Santos

cadeia velha

Cinco prédios históricos que abrigam oficinas culturais do Estado receberão investimento de R$ 22 milhões em obras de restauro. O anúncio foi feito pelo governador Geraldo Alckmin na tarde desta segunda-feira, 9. As licitações para contratação das obras devem ser realizadas até o final deste ano, e a expectativa é de que a recuperação tenha início no começo de 2014. Os prazos de conclusão variam de 15 a 18 meses.

Para a reforma e restauro da Cadeia Velha de Santos, serão liberados R$ 10 milhões. Trata-se de um dos edifícios coloniais mais antigos e importantes da cidade, declarado patrimônio histórico nas esferas municipal (Condepasa), estadual (Condephaat) e federal (Iphan). A sua construção foi concluída em 1869, quando foi instalada no edifício a Câmara de Santos e, um ano depois, a cadeia, que funcionou até 1956. O intuito da obra é manter a feição original do bem de modo a preservar também as marcas significativas das intervenções sofridas ao longo do tempo.

 

Dia Internacional da Fotografia será comemorado na Pinacoteca

exposição

A expansão do estudo da linguagem fotográfica e a importância da fotografia no cenário das artes plásticas são a razão da mostra realizada em parceria da Oficina Cultural Pagu com a Pinacoteca Benedicto Calixto. Além da exposição de João Roberto Ripper e Egberto Nogueira, dois dos principais profissionais do fotojornalismo brasileiro, a programação inclui workshops para estudants e profissionais da área que serão realizados na sede das Oficinas Pagu.

Abertura: 22 de agosto – quinta – 19h30

Abertura ao público: 23 de agosto a 15 de setembro

Visitação livre e gratuita

Terça a Domingo das 09h00 às 18h00

Local: Casarão

 

Pinacoteca Benedicto Calixto

Av. Bartolomeu de Gusmão, 15 – Boqueirão
Informações:(13) 3288-2857

Workshops

► WORKSHOP: A FOTOGRAFIA, O VÍDEO E A VELOCIDADE DA INFORMAÇÃO NAS NOVAS MÍDIAS
Coordenação: Egberto Nogueira
16 e 17/8 – sexta feira – 18h45 às 21h45 | sábado – 10h às 13h e 14h às 17h
Público: fotógrafos, jornalistas e estudantes das áreas de audiovisual e comunicação, acima de 16 anos
Inscrições: 23/7 a 14/8
Seleção: currículo ou portfólio
20 vagas

Apoiado em 30 anos de experiência como profissional de fotografia e jornalismo, Egberto Nogueira abordará questões sobre a imagem documental e suas possibilidades de comunicação, permitidas atualmente pela conexão entre foto, vídeo, novas tecnologias e redes sociais. Os participantes deverão trazer seu equipamento fotográfico para a execução da parte prática do workshop.

O fotógrafo Egberto Nogueira trabalhou para agências internacionais de notícias, como a Reuters e a France-Presse, e para jornais e revistas de expressão mundial, como “Time”, “The Face”, “L’Express”, “Boston Globe” e “The Independent”. Fotógrafo do staff da “Veja” por 10 anos, em 2000 começou sua carreira de fotojornalista independente. Recebeu o Prêmio Abril de Jornalismo em 1995 e 2013. Em 2001, criou a Imã Foto Galeria.

► EXPOSIÇÃO: TRABALHO
Fotógrafos: Egberto Nogueira e João Roberto Ripper
Abertura: 22/08 – quinta feira – 19h30
Visitação: até 15/09 – terça a domingo – 9h às 18h
Classificação: livre
Local: Pinacoteca Benedicto Calixto: Avenida Bartolomeu de Gusmão, 15 – Boqueirão

A exposição “Trabalho” apresenta um recorte das fotos que Egberto Nogueira e João Roberto Ripper realizaram sobre esse tema, feitas em diversas regiões do país ao longo de vários anos. Voltando suas lentes para pessoas de diferentes faixas etárias, que vivem em situações socialmente adversas, Nogueira e Ripper buscam revelar a beleza e a dignidade dos personagens retratados em suas funções cotidianas.

► WORKSHOP: BEM-QUERER – A FOTOGRAFIA A SERVIÇO DOS DIREITOS HUMANOS
Coordenação: João Roberto Ripper
26/8 a 28/8 – segunda a quarta-feira – 18h45 às 21h45
Público: fotógrafos e estudantes das áreas de audiovisual e comunicação, acima de 18 anos
Inscrições: 23/7 a 22/8
Seleção: currículo
20 vagas

 

Oficina Cultural Pagu

Coordenador: Mônica Tranjan Real de Toledo
Praça dos Andradas, s/nº – Centro – Cep: 11010-100 – Santos/SP
Telefone: (13) 3219-2036 / 3219-1741 | pagu@oficinasculturais.org.br
Funcionamento: Segunda das 18h às 22h, terças a sextas-feiras das 13h às 22h
Sábado das 14h às 18h

A sede da Oficina Cultural Pagu está em reforma.
O atendimento está sendo feito no endereço:
Rua Napoleão Laureano,89 CEP 11070-140
Horário de funcionamento: Segunda a sexta-feira, das 14h às 22h

 

 

 

Estado e Prefeitura devem cuidar juntos da Cadeia Velha

cadeia velha

Ao invés da ideia de se municipalizar o prédio da Cadeia Velha, no Centro, o Governo do Estado e a Prefeitura de Santos discutem uma possível gestão compartilhada do equipamento histórico.

O assunto foi pauta de uma reunião entre o secretário estadual de Cultura, Marcelo Araújo, e o comandante da pasta municipal, Raul Christiano, na última sexta-feira.

No encontro, ficou acertado que não é o momento de se discutir a utilização do imóvel, mas garantir a continuidade de uma das ações mais expressivas desenvolvidas no espaço, a Oficina Cultural Pagu, do Governo do Estado.

A intenção de a Prefeitura realizar obras no local e já definir atividades para a reabertura está descartada. Pelo menos por enquanto.

A proposta é que a gestão compartilhada aconteça em dois momentos principais. O primeiro, agora, enquanto o prédio está fechado. O segundo, quando for reaberto após o restauro, o que se espera acontecer daqui a dois anos.

Agora, a ideia é reavivar a Oficina Cultural Pagu principalmente nos Portos de Cultura, núcleos descentralizados da Prefeitura que oferecem atividades nos bairros. Depois da revitalização da Cadeia Velha, explica Christiano, o Município deverá colaborar com a sua manutenção.

“Criou-se um movimento contra a municipalização. Mas não há isso. O secretário (Marcelo Araújo) destacou que o imóvel é emblemático para a história de Santos e continuará com o Estado, mas gostou bastante da ideia de compartilhar a gestão”, diz Christiano.

A edificação, localizada na Praça dos Andradas, está fechada. O Estado identificou problemas no prédio, como infiltrações nos telhados, que causaram danos nas paredes, deteriorando o piso original e comprometendo equipamentos e mobiliários. Por isso, iniciou-se o processo para restauração do imóvel, que é tombado.

De acordo com Christiano, conforme informações do Estado, o edital para as reformas da Cadeia Velha deve ser publicado ainda neste semestre. A previsão é que as obras tenham início em setembro e durem cerca de 18 meses.

“Essa nossa proposta é porque a grande preocupação era que o Estado deixasse de oferecer a Oficina Pagu. Antes da Cadeia Velha fechar, eram 3.500 vagas, hoje são 340. Lá na frente, o que será feito com o imóvel é uma questão a ser discutida mais adiante. Não adianta colocar os carros na frente dos bois”, diz o secretário santista.

 

ATribuna

Oficina Pagu oferece diversos cursos gratuitos

ANDERSON_BIANCHI_4834

Começam segunda-feira (25) as inscrições para os cursos da Oficina Cultural Pagu. São várias atividades gratuitas nas áreas de vídeoarte, cinema com celular, fotojornalismo, edição, técnicas vocais, acervos museológicos, hip hop, teatro, gestão cultural, curadoria, música, iluminação e dança.

Entre os destaques da programação estão o projeto especial Gestão Pública de Cultura, voltado para agentes culturais e artistas, que abordará os diversos programas do MINC (Ministério da Cultura) e da Secretaria de Estado da Cultura, e o show: Canção para Elas, com o Coral Zanzalá, no dia 12 de maio, às 18h.

A programação completa está disponível no site www.oficinasculturais.org.br. As inscrições devem ser feitas pelo e-mail pagu@oficinasculturais.org.br ou no Centro Comunitário São Judas Tadeu (rua Napoleão Laureano, 89, Marapé), de segunda a sexta, das 14h às 20h. Informações pelos telefones 3219-2036 ou 3219-1741.

 

Oficinas

Cinema com celular

Edição cinematográfica para celular

Workshop de edição de imagem

 Videoarte e comunicação

 Introdução ao fotojornalismo

Workshop Introdução as técnicas vocais

 Conservação de acervos Museológicos

Gestão e política de acervos  Museológicos

Investigação cênia do imaginário Eu-Outro

Teatro: O corpo híbrido do ator

Técnicas de gravação digital para cantores e locutores

Cadeia Velha: Estado promete restauração do prédio

A Praça dos Andradas, no Centro histórico de Santos, abriga uma das construções mais valiosas da Cidade: a Casa de Câmara e Cadeia ou, simplesmente, Cadeia Velha. Em condições precárias, o edifício, que é administrado pelo Governo Estadual, será totalmente restaurado.

Vistoria realizada pela Secretaria de Estado da Cultura apontou danos estruturais. Os principais são as infiltrações nos telhados, que causaram problemas nas paredes, deteriorando o piso original e comprometendo equipamentos e mobiliários.

A licitação da restauração foi concluída na terça-feira e vencida pela PJJ Malucelli Arquitetura Ltda. O processo de contratação deve ser finalizado até a última semana de abril e a empresa tem 90 dias para apresentar o projeto.

Não há prazo definido para o início e o término das obras, pois o projeto ainda será submetido à aprovação do Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat) e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), já que o bem é tombado pelos dois órgãos.

A Cadeia Velha abrigava a Oficina Cultural Pagu, que funciona no Centro Comunitário São Judas Tadeu (Rua Napoleão Laureano, 89, Marapé).

Monica Tranjan Real de Toledo, coordenadora da oficina, diz que a restauração era necessária. “A estrutura apresentava vazamentos e precisava de uma reforma. Fomos comunicados da restauração no meio do ano passado, mas ainda não havia um dia certo”.

Ela diz que, atualmente, “há um segurança para cuidar das mesas, cadeiras e estantes que ficaram no edifício. Também enviamos um funcionário para fazer uma limpeza mensal”.

A Cadeia Velha é um patrimônio de inestimável importância tanto para Santos quanto para o País.

Para se ter uma ideia de sua relevância, em 1865, o edifício, ainda em fase de construção, já abrigava as tropas da região que lutariam e retornavam da Guerra do Paraguai (1864 – 1870).

Mais tarde, sediou o Fórum, a Prefeitura e o Conselho Municipal de Recursos. E, durante pouco mais de 80 anos, cumpriu a função de guardar os presos.

 

A Tribuna

Enhanced by Zemanta