‘Pablo Neruda – Confesso Que Resisti’

pablo neruda

Saudação a um dos mais universais poetas do século XX, Prêmio Nobel de Literatura  reconhecido por sua obra de raro lirismo e sua militância libertária.

Após 40 anos de sua morte, escritores do mar reverenciam o mestre que dedicou dois poemas antológicos a Santos, no momento que se revela reais circunstâncias de sua morte, logo após o golpe contra Salvador Allende, e que  escritores de todo mundo saúdam o autor de Canto Geral, Barcarola e Confesso que Vivi!.

Com a City-Companhia Instável de Repertório e Percutindo Mundos.

 

‘Pablo Neruda  – Confesso Que Resisti’ 

Dia: 07/12

Horário: 17 horas

Auditório

Grátis

Sesc Santos

R. Conselheiro Ribas, 136 – Aparecida

(13) 3278-9800

Pinacoteca homenageia Pablo Neruda

Pablo-Neruda

Nesta quarta-feira (dia 11) às 19h30 a Pinacoteca Benedicto Calixto  realiza um sarau lítero-musical em homenagem ao poeta chileno Pablo Neruda. Com apresentação da City- Companhia Instável de Repertório e grupo Percutindo Mundos, os escritores Flávio Viegas Amoreira, curador do evento , Madô Martins e Regina Alonso com os músicos Alice Mesquita e Márcio Barreto.

Durante o sarau que tem entrada gratuita, serão lidos poemas acompanhados com músicas latino-americanas. Pablo Neruda é Prêmio Nobel de Literatura e mundialmente reconhecido por sua obra de raro lirismo e sua militância libertária.

40 anos após sua morte, escritores caiçaras reverenciam a quem dedicou dois poemas antológicos a Santos, cidade que visitou e cantou a partir de diversas visitas. Escritores internacionais saudam o autor de “Canto Geral”, “Barcarola” e “Confesso que vivi!”.

Poemas e romances contam a História do Porto de Santos

Um livro que usa poemas, contos e romances como fontes de pesquisa para contar parte da História do Porto de Santos. Este é o caso de “Esquinas do Mundo: Ensaios sobre História e Literatura a partir do Porto de Santos”, que o jornalista Alessandro Atanes, mestre em História Social pela USP, lança em no dia 5 de abril (sexta-feira), às 19 horas, na Estação da Cidadania de Santos, na Avenida Ana Costa, 340, a antiga Sorocabana. O livro é publicado pela Editora Dobra com recursos do Fundo Municipal de Cultura de Santos.

Dividido em 11 ensaios temáticos, o livro apresenta e analisa textos que têm o porto como tema ou cenário escritos por nomes da literatura universal como Guy de Maupassant, Pablo Neruda, Elizabeth Bishop, Blaise Cendrars e Jorge Amado, aos quais se unem autores como Rui Ribeiro Couto, Ranulpho Prata, Roldão Mendes Rosa, Narciso de Andrade e os contemporâneos Madô Martins, Alberto Martins, Ademir Demarchi, Flávio Viegas Amoreira e Marcelo Ariel, entre outros.

Todos eles mostram o porto de Santos, cada um de uma maneira diferente, como um espaço que favorece narrativas como aventuras, histórias de chegadas e partidas, conflitos trabalhistas e ideológicos, mas também relatos de nostalgia de autores que acompanham o movimento de navios sem partir em nenhum. A exceção é Ariel, em que o autor analisa as relações entre História e Literatura em seu poema sobre o incêndio de Vila Socó, em Cubatão. É também de Ariel o texto que abre o livro. Como é comum que obras de ficção tenham uma introdução analítica, descritiva ou crítica, o poeta foi convidado para fazer o inverso, um texto de ficção que introduza os ensaios. Já a capa é de Raphael Morone.

De outra perspectiva, o livro busca ler o contexto em que os textos foram concebidos e como eles se relacionam ao longo do tempo entre si e com a sociedade em que foram escritos. Assim, os ensaios colaboram também para escrever uma História da Literatura escrita na cidade de Santos.

“Nessa balança entre História e Literatura, busca-se nos textos ficcionais não a ilustração ou o reflexo dos fatos reais, mas uma configuração alternativa a eles, um desvio a partir do qual a realidade pode ser questionada e de onde o conhecimento histórico pode ser construído. Colocando de outra forma, a Literatura é vista aqui como forma de conhecimento sobre o mundo”, destaca o autor.

Assim, a partir do porto de Santos, os ensaios vão se espraiando para outras esquinas do mundo e passam também pelos portos de Buenos Aires, Barcelona, Hamburgo, Nova York e São Petersburgo, sugerindo um parentesco entre as cidades portuárias.

Alessandro-Atanes

Sobre o autor

Alessandro Atanes, nascido em 1973 em Santos. Cresceu entre os bairros da Vila Mathias, de concentração de pequeno comércio, e do Macuco, o bairro portuário da cidade, e gosta quando os apitos dos navios fazem vibrar os vidros das janelas. Estudou Jornalismo na Universidade Católica de Santos e começou sua atividade profissional em Cuiabá, Mato Grosso, onde se uniu à Márcia Rodrigues da Costa. É servidor público Secretaria de Comunicação do município de Cubatão desde 1999 e atuou como jornalista em jornais, TVs e no Terceiro setor.

 

Esquinas do Mundo: Ensaios sobre História e Literatura a partir do Porto de Santos
Quando: Sexta-feira, 5 de abril
Horário: às 19 horas
Onde: Estação da Cidadania, Avenida Ana Costa, 340, Santos

 

 

Boqnews

Enhanced by Zemanta