Programa Museu e Universidade tem inscrições abertas

18716_628850740473276_1034936704_n

 

 

Parceria entre Museu do Café e UniSantos oferece programa de extensão educacional

O programa “Museu e Universidade: construindo diálogos”, parceria entre a Universidade Católica de Santos e o Museu do Café, instituição da Secretaria de Estado da Cultura, visa discutir o papel dos museus no âmbito da pesquisa e formação, potencializando o diálogo entre o conhecimento acadêmico e o museal. A programação será realizada entre os dias 12 e 23 de agosto e é voltada para diferentes públicos, como professores, estudantes – cursos de história, gastronomia e nutrição -, curadores e educadores.

A parceira pretende estimular o interesse dos inscritos em assuntos relacionados à conservação, restauração, exposição, acervo e edificação. Visa também reforçar a importância do patrimônio histórico e aproximar o público das atividades realizadas pelo Centro de Preparação de Café (CPC) e pelo setor Educativo do Museu, áreas que complementam diversas atividades pedagógicas.

A programação tem início com a inauguração da mostra “Conhecendo o Café”, no dia 12 de agosto, no Campus D. Idílio José Soares, da UniSantos. A mostra, que ficará exposta até o dia 23, ilustra as etapas do processo morfológico da planta até o grão. No dia 17, os interessados poderão participar do “Mini-Curso de Barista”, no Museu do Café. Realizado ente 14h e 17h, o curso apresentará aos alunos a prática da profissão de Barista e seus ensinamentos básicos. No mesmo dia e horário, a palestra “Introdução às Práticas Museológicas”, ministrada por integrantes do corpo técnico do Museu, irá abordar assuntos que envolvem o cotidiano de uma instituição museal.

Dando sequência às atividades, no dia 18, às 14h, os participantes poderão fazer uma visita monitorada ao espaço expositivo do Museu do Café, acompanhados pela equipe do setor Educativo. Finalizando a grade do programa, a mesa redonda “Museu e Universidade: construindo diálogos”, composta por professores e profissionais da área, será realizada no dia 19, às 19h, no Campus D. Idílio José Soares. O encontro pretende discutir possibilidades da participação dos museus na formação acadêmica e profissional dos alunos, desenvolvendo um trabalho integrado e de suma importância para o fortalecimento de práticas de cidadania.
As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo e-mail: inscricao@museudocafe.org.br.

O Museu do Café fica à rua XV de Novembro, 95, no Centro Histórico de Santos. Seu horário de funcionamento é de terça a sábado das 9h às 17h, e aos domingos entre 10h e 17h. Os ingressos para visitação custam R$ 5, estudantes e pessoas acima de 60 anos pagam meia-entrada. Já a Cafeteria do Museu funciona de segunda a sábado das 9h às 18h, e aos domingos entre 10h e 18h.  Outras informações estão disponíveis no site www.museudocafe.org.br

Mostra “Conhecendo o Café”
Data: 12/8 a 23/8
Local: Unisantos – Rua Conselheiro Nébias, 300 – Vila Mathias, Santos/SP.

Cursos

Mini-curso de Barista
Data: 17/8/2013
Horário: 14h às 17h
Local: Museu do Café – Rua XV de Novembro, 95 – Centro, Santos/SP.
Vagas: 15

Introdução às Práticas Museológicas

Data: 17/8/2013
Horário: 14h às 17h
Local: Museu do Café – Rua XV de Novembro, 95 – Centro,Santos/SP.
Vagas: 15

Visitação

Visita mediada

Data: 18/8/2013
Horário: 14h
Local: Museu do Café – Rua XV de Novembro, 95 – Centro. Santos/SP.

Visita espontânea

Data: 18/8/2013
Local: Museu do Café – Rua XV de Novembro, 95 – Centro. Santos/SP.
Visita às exposições do Museu do Café liberada para os inscritos.

Mesa Redonda – “Museu e Universidade: construindo diálogos.”.

Data: 19/8/2013
Horário: 19h
Local: Unisantos – Rua Conselheiro Nébias, 366 – Vila Mathias,Santos/SP.

Programa de Patrimônio Arqueológico, Histórico e Cultural da Ilha Diana

Cartilha Patrimonial do Programa de Patrimônio Arqueológico, Histórico e Cultural do Terminal Portuário EMBRAPORT. Seu objetivo é registrar, preservar e valorizar o patrimônio pré-histórico, histórico e cultural da região, ou seja: a herança dos povos indígenas, dos colonizadores europeus, da sociedade brasileira que começou então a se formar e, ainda, os bens culturais da atual comunidade de Ilha Diana.

Link para download.

Patrimônio arquitetônico, Casa da Frontaria Azulejada será revitalizada

frontaria

O Espaço Cultural Casa da Frontaria Azulejada, no Centro Histórico, será revitalizado pela prefeitura. A obra é um dos 11 projetos do município que contarão com recursos do Dade (Departamento de Apoio ao Desenvolvimento das Estâncias), órgão vinculado à Secretaria de Estado do Turismo, e receberá investimento de R$ 2,5 milhões. O projeto da Secretaria de Desenvolvimento Urbano prevê a restauração interna e externa, substituição da cobertura e construção de mezanino com auditório para 120 pessoas.

A previsão é que a intervenção comece a ser executada no segundo semestre deste ano. “A finalidade é a preservação deste patrimônio histórico e melhor abrigar os eventos culturais”, destaca a presidente da Fundação Arquivo e Memória de Santos (entidade responsável pelo imóvel), Vera Raphaelli.

O prédio da Frontaria funciona desde o final de 2007 como espaço cultural. Construído em 1865 para residência e armazém do comendador português Manoel Joaquim Ferreira Netto, é uma das mais significativas obras arquitetônicas de Santos e se destaca pela fachada composta por azulejos portugueses em alto-relevo, sendo tombado pelos órgãos de defesa de patrimônio municipal (Condepasa), estadual (Condephaat) e federal (Iphan).

Secretaria de Desenvolvimento Metropolitano reedita obra que registra importância e beleza da região da Baixada Santista

livro
No próximo dia 7 de dezembro, a partir das 19 horas, na Pinacoteca Benedicto Calixto, a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Metropolitano, por intermédio da Agência Metropolitana da Baixada Santista (Agem) e a Imprensa Oficial do Estado de São Paulo apresentam ao público a reedição do livro Patrimônio histórico, cultural e natural, obra que destaca a importância histórica de nove cidades do litoral paulista, bem como mostra a beleza natural e o valor cultural da região metropolitana da Baixada Santista. As cidades destacadas pela obra são Bertioga, Cubatão, Guarujá, Itanhaém, Mongaguá, Peruíbe, Praia Grande, Santos e São Vicente.

Os registros fotográficos dos monumentos históricos e arquitetônicos e da diversidade natural da região foram assinados por Marcos Piffer. Os textos concisos revelam cinco séculos de história da região metropolitana da Baixada Santista, com dicas preciosas para turistas, estudiosos, pesquisadores, gestores, e são de autoria de Taís Assunção Curi Pereira. O design da obra ficou por conta de Mônica Mathias.

Para cada cidade retratada há também uma apresentação breve, muitas das quais recheadas de conteúdo histórico, escrita por seus administradores: prefeitas e prefeitos. O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin; o secretário de Estado de Desenvolvimento Metropolitano, Edson Aparecido, o secretário-adjunto de Estado de Desenvolvimento Metropolitano e coordenador do Projeto Patrimônio histórico, cultural e natural, Edmur Mesquita; e o diretor-presidente da Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, Marcos Monteiro, entre outros, registraram nas primeiras páginas do livro as impressões sobre a obra e a sua importância para a cultura do País.

Da primeira cidade retratada – Bertioga –, o leitor verá descrito o canal; o Forte de São João; a beleza de suas praias; as trilhas, os rios, as vilas e a cultura indígena. São 22 páginas que poderão ser apreciadas com atrativo visual do mais alto apuro técnico.

Cubatão é o segundo município. O Largo do Sapo; a Biblioteca Municipal; a Vila Light, sua flora e fauna são mostrados de maneira a registrar o potencial de um dos mais importantes patrimônios históricos e arquitetônicos do Brasil: a estrada conhecida como Caminho do Mar, herança da época imperial.

As 26 páginas seguintes são dedicadas a Guarujá. O moderno e o rústico são retratados para mostrar a beleza da localidade, com suas 27 praias, que somam mais de 22 km de extensão, apresentando características bem variadas. A obra traz informações preciosas para quem pretende conhecer a cidade.

O centro histórico de Itanhaém; a Casa do Olhar Benedicto Calixto; a Biblioteca Poeta Paulo Bomfim e tantos outros espaços foram fotografados e compõem essa obra que mostra a riqueza da cidade. São 20 páginas com muita cor e conteúdo descritivo da história local.

A beleza do Parque Turístico Ecológico de Mongaguá está registrada nas páginas dedicadas a esta cidade, que também conta com uma rica zona rural. Há muitas alternativas de passeios ecológicos, como o Poço das Antas às margens do Rio Mongaguá. Para aqueles que quiserem saber mais sobre a história da cidade, o endereço é a Casa da Memória, espaço cultural que reúne grande acervo de fotografias, arte sacra e documentos.

A história, a beleza e a riqueza de Peruíbe ilustram 22 páginas desta obra que faz um traçado completo da cidade, que se orgulha de ter sob seus domínios parte da Estação Ecológica Jureia-Itatins, com 80 mil hectares de Mata Atlântica preservados. Monumento histórico-cultural de importância nacional, as Ruínas do Abarebebê são originárias de uma das primeiras igrejas construídas pelos jesuítas no Brasil, no século XVI. Foto de parte dessa ruína compõe a capa deste livro.

Muito popular entre os paulistanos, a Praia Grande tem papel de destaque no cenário econômico da região metropolitana da Baixada Santista. O leitor poderá mergulhar na história da cidade e conhecer os pontos turísticos principais, sua força cultural e importância ambiental.

A cidade de Santos foi detalhadamente registrada, dada a sua importância para toda a região. Quarenta e seis páginas, com muita ilustração e texto mais robusto, contam a história de diversos monumentos, espaços, lugares, bem como a sua flora e fauna.

A última localidade a ser retratada é São Vicente. O Parque Cultural Vila de São Vicente, a Casa Martim Afonso, o Monumento ao Centenário da Fundação de São Vicente, a Igreja Matriz, a Biquinha de Anchieta e tantos outros lugares estão registrados em Patrimônio histórico, cultural e natural. Uma viagem ao tempo pode ser feita por meio das 20 páginas dedicadas à cidade mais antiga do nosso País.

Patrimônio histórico, cultural e natural

Noite de Autógrafos
Quando: sexta-feira (7), às 19 horas
Onde: Pinacoteca Benedicto Calixto, à Av. Bartolomeu de Gusmão, 15
Preço: R$ 90,00 (capa dura) e R$ 70,00 (brochura)

 

Boqnews

Enhanced by Zemanta

Revista Ceciliana sobre Patrimônio Cultural será lançada na 10ª Semana Nacional de Museus

 Semana Nacional de Museus acontece anualmente para comemorar o Dia Internacional de Museus, no dia 18 de maio. A iniciativa é do Instituto Nacional de Museus (IBRAM) em parceria com instituições de todo o Brasil. Neste ano, a sua 10ª edição ocorrerá entre os dias 14 e 20 de maio, quando instituições museológicas e culturais promoverão eventos em torno do tema Museus em um Mundo em Transformação – novos desafios, novas inspirações.

Em Santos, a Semana acontece com a participação da Universidade Santa Cecília (Unisanta), por meio do Espaço Cultural Unisanta e do curso de Pós–Graduação em Patrimônio Cultural, Memória e Preservação.
m dos destaques da programação é o lançamento de uma edição especial da Revista Ceciliana digital, com o tema Patrimônio Cultural, Memória e Preservação.  A revista conta com 14 artigos, além de relatos de experiência, formas visuais, textos opinativos e contos desenvolvidos por alunos e professores do Curso de Pós-Graduação da Unisanta.

Para a coordenadora do curso, a Prof.ª Dra. Ana Kalassa El Banat, a preocupação com a preservação da memória é tão antiga quanto a nossa história enquanto civilização. Nesse contexto, as transformações culturais, mesmo as mais sutis, podem tornar-se inquietantes.

“Essa revista apresenta o resultado parcial de pesquisas realizadas por alunos e professores e demonstra a vasta gama de interesses, problemáticas, hipóteses e resultados desse processo do pensar a cultura, reforçando ainda mais nossa percepção sobre a necessidade constante de nos debruçarmos sobre esse campo de conhecimento, questionando seus saberes, suas formas e suas forças”, destaca Ana.

Programação

A abertura acontece na próxima segunda-feira (14), às 20 horas, com a mesa-medonda A Leitura de Imagem como proposta para valorização do patrimônio artístico local, com as professoras Ana Paula Silva,  Márcia Santtos e Maria Emília Sardelich. A mediação da mesa será da Prof.ª Dra. Ana Kalassa El Banat, no Consistório da Unisanta, no térreo do Bloco M, localizado na Rua Oswaldo Cruz, 277.

O lançamento da Revista Ceciliana será na quinta-feira (17), às 19 horas, com a abertura da Exposição do Grupo de Gravura Mariana Quito e apresentação do Quarteto de Cordas Martins Fontes, no Espaço Cultural Unisanta – Galeria de Arte, no térreo do Bloco M.

Na sexta-feira (18), às 19h30, será ministrada a Palestra A salvaguarda e a organização de acervo para preservação do patrimônio arqueológico local e a visita guiada ao Centro Regional de Pesquisas Arqueológicas (CERPA), com o Prof. Pós Dr. Manoel Gonzalez, na Rua Ana Pimentel, 12 – Ponta da Praia.

As atividades até o dia 18/5 são abertas a todos os interessados pelos temas discutidos e para o público em geral, com entrada franca.

Encerrando a semana, os alunos da Unisanta participarão da Oficina Preservação, Conservação e Restauro de bens culturais em suporte papel, no sábado (19), das 9h30 às 17h30, com Kamila Fernandes Vasques e Thiago de Melo Antunes, na Sala de Gravura, no Bloco D, 5º andar, da Unisanta, localizado na Rua Oswaldo Cruz, 266.

Boqnews

Seminário e lançamento de livro vão marcar aniversário do porto

Dentro das comemorações do 120º aniversário do porto de Santos, haverá no próximo dia 29 o seminário Porto + 120 e o lançamento do livro Porto de Santos – 120 anos de história, às 14h, na Estação Santos, à Rua Tuiuti, 56, Centro Histórico. Os interessados podem se inscrever gratuitamente no endereço eletrônico inscricao@porto120.com.br. As vagas são limitadas. O evento é uma realização da Editora Brasileira de Arte e Cultura.

O seminário tem como tema Memória e Patrimônio, discutido em quatro painéis. O primeiro, às 15h, enfoca Reflexões sobre a expansão do porto de Santos: história e avanços tecnológicos, com a professora doutora Clotilde Paul e o engenheiro Sérgio da Costa Matte. Em seguida, a arquiteta Débora Blanco Bastos Dias fala sobre Impactos urbanos: patrimônio imaterial e sua utilização ou reutilização no desenvolvimento das atividades portuárias e retroportuárias.

Às 17h, o secretário municipal de Assuntos Portuários, Sérgio Aquino, ministra palestra sobre Preservação e futuro: desafios e oportunidades com projetos de revitalização de áreas e fomento ao turismo, juntamente com o diretor de planejamento estratégico e controle da Codesp, Renato Ferreira Barco.

O último painel sobre Sustentabilidade e expansão: investimentos em infraestrutura portuária estará a cargo do economista Gesner Oliveira e do mestre em direito Fernando Marcato.

Em seguida, será definido o tema para o seminário em 2013. A programação termina com o lançamento do livro Porto de Santos – 120 anos de história, que tem apoio da Fams (Fundação Arquivo e Memória de Santos), Prefeitura de Santos, Codesp, Agência Estado, Libra Terminais, Ultracargo, Berkley Brasil e Transbrasa. Mais informações em www.porto120.com.br.

Enhanced by Zemanta

Patrimônio do Centro Histórico surpreende futuros taxistas

“Parece até que hoje descobrimos Santos”. O comentário de um dos 30 futuros taxistas da cidade retrata a surpresa do grupo com o patrimônio cultural e arquitetônico do Centro Histórico, durante o passeio de bonde na terça-feira (22). Monitorada por guia de turismo da Setur (Secretaria de Turismo), a atividade integra o curso para ingresso na atividade, desenvolvido pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego).

Segundo Maria Leopoldina do Patrocínio e Silva, da Setur, o grupo conheceu novos roteiros para indicar aos turistas, preparando-se também para a recepção de visitantes durante a Copa de 2014. A secretaria entregou aos taxistas um guia que resume a história e curiosidades das atrações do Centro. “Fiquei impressionada”, disse Valdemir dos Santos Almeida, que afirma ter condições, agora, para divulgar mais a cidade para os turistas. “Vou até deixar o guia no táxi”.

Outra futura taxista, Sandra Lúcia de Lima completou: “Estudei no Cesário Bastos, entrava sempre no prédio do Corpo de Bombeiros e na Igreja do Valongo, mas não tinha ideia de sua importância histórica”.

Ewerton Muniz da Silva já trabalhou em navio de cruzeiros e em uma firma no Centro Histórico. “Agora estou descobrindo esse cenário com outros olhos. Olhos de turista, mesmo.”

Enhanced by Zemanta