Bonde 40 terá pintura original

bonde

O famoso bonde 40, conhecido como camarão e integrante da linha turística que percorre o Centro Histórico, será apresentado à população nas cores prata e vermelha, pintura original da época em que circulava pela cidade, no final da década de 60. O lançamento, na próxima segunda-feira (23), marcará o ‘Dia Municipal do Bonde’, às 10h, na praça Mauá.

Um grupo de restauradores da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) iniciou os serviços no veículo em abril, na garagem do Valongo. O resgate histórico foi possível a partir de uma foto, encontrada na Fundação Arquivo e Memória de Santos. As cores prata e vermelha também representam o fim de um ciclo, isto é, o momento em que o sistema foi extinto, em fevereiro de 1971.

No evento também haverá uma exposição com os seis bondes em operação e restaurados pela CET, entre 10h e 16h – o aberto escocês (o mais antigo do Brasil em circulação), um português, um italiano, dois reboques, além da apresentação do bonde 40 com o novo layout.

Banners foram confeccionados com a ficha técnica de cada veículo, com fotos originais da época em que operavam, para mostrar o trabalho minucioso de restauração executado em cada exemplar do Museu Vivo. Também haverá exposição de maquetes no hall da prefeitura, e que permanecerá até 13 de outubro.

Mutirão de pintura vai colorir a Ilha Diana

Ilha Diana

A Ilha Diana, na área continental, ganhará novas cores. Um mutirão de pintura será realizado em todas as casas de alvenaria e madeira. Trata-se do Projeto Ultramar – Ilha Diana, cujo ponto alto será sábado (18), a partir das 9:00 horas, com participação de cerca de 40 pessoas, entre profissionais da prefeitura, artistas, comunidade, estudantes e demais interessados.

O objetivo é transformar a paisagem urbana da ilha, que reúne atualmente 180 moradores, e incentivar as relações sociais e a percepção estética. Coordenado pelo artista plástico Mauricio Adinolfi, o trabalho começou em fevereiro com visitas do artista às casas, para conversar com os moradores sobre as cores desejadas.

“Conseguimos montar uma composição específica para cada casa. A pintura valoriza um olhar sobre a história dessas construções e de seus habitantes, documentando essa comunidade”, explica o artista.

Segundo o Dear-AC (Departamento de Administração Regional da Área Continental), em abril uma equipe cuidou do preparo das casas para receber a pintura nova, com troca de placas de madeira, aplicação de reboco e reparos na alvenaria. Além da prefeitura, o projeto tem apoio Governo do Estado de São Paulo, da Sociedade de Melhoramentos da Ilha Diana e Tintas Coral.

Bonde recebe pintura da época em que sistema foi extinto na cidade

bonde antigo

Fundo prata, faixas e detalhes de um vermelho vibrante. Essas eram as cores dos bondes que rodavam pelas ruas de Santos quando o sistema foi extinto, em 28 de fevereiro de 1971. Com a proposta de resgatar a memória deste momento da história do transporte coletivo local, a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) promove a restauração de um dos exemplares da linha turística do Centro com as cores da época.

O trabalho se tornou possível graças à pesquisa realizada no acervo da Fams (Fundação Arquivo e Memória de Santos), onde foram localizadas fotos do período em bom estado de conservação. A equipe da CET está reproduzindo fielmente os tons da pintura e a logomarca do SMTC (Serviço Municipal de Transportes Coletivos), que operava o sistema.

Com carroceria fechada fabricada pela própria SMTC na década de 1950 e estrutura mecânica escocesa, o bonde 40, conhecido como ‘camarão’, roda na linha turística desde janeiro de 2002. Além da pintura especial, ele está recebendo novas rodas, vedação, calefação, manutenção mecânica e teve portas, janelas e chaparia recuperadas. Assim que o trabalho for concluído, o exemplar volta a circular pelo Centro.

Mostra valoriza o hiper-realismo

Pinturas tão fieis à realidade que parecem fotografias, ressaltando ao máximo os detalhes que, para muitos, passam de forma imperceptível. Essa é uma das definições do hiperrealismo, estilo de pinturas e esculturas que têm como finalidade ser o mais próximo possível daquilo que vemos como fotografias. E Santos recebe uma exposição que muito tem a ver com esse tema.

É a mostra Real Momento, do artista plástico santista Linaldo Cardoso, que tem mais de 30 anos no ramo da pintura. São 18 telas, pintadas a óleo, em diversos tamanhos, que mostram flagrantes de diversas pessoas e objetos relacionados à prática de três atividades: paraquedismo, pesca e ciclismo.

A exposição está no teatro Municipal Brás Cubas e está aberta à visitação de segunda a domingo, das 14 às 18 horas, com entrada gratuita até o dia 6 de outubro. O artista ganhou diversos prêmios em salões de artes plásticas realizados em todo o Brasil com suas obras. Além da pintura, Cardoso é especializado em restauração de peças.

A ideia de fazer a mostra começou há três anos, depois de uma viagem da filha à Europa. “Ela me mostrou algumas fotos que fez na Alemanha de pessoas praticando esportes radicais. Minha esposa sempre falava para fazer quadros de pessoas e, a partir deste momento, veio a motivação”, diz Linaldo.

Ele passou a ir ao Morro do Votoruá, em São Vicente, acompanhar os saltos feitos do lugar. Registrava, com uma câmera, cada detalhe. Também clicou provas de triatlon realizadas na Cidade. “O nome da mostra, Real Momento, veio justamente disso, da ideia de ser o mais fiel possível à realidade, aos detalhes, desde a marca da bicicleta aos detalhes do rosto dos praticantes”.
História – Linaldo Cardoso sempre gostou de trabalhar com arte. “Desde criança gostava de mexer com pintura. Tinha talento para construir brinquedos, avião e foguete. Meu apelido era Professor Pardal”, conta. Fez cursos de mecânica e trabalhou na área, em multinacionais, mas nunca deixou a questão artística de lado. “A arte está no sangue. A gente pode até protelar, mas não podemos fugir”.

Paralelamente ao trabalho de mecânico, ingressou na Escola Livre de Pintura de Santos. Fez a primeira exposição dos trabalhos em 1986. “Eram paisagens e natureza morta”, relembra. Vendeu todas as telas, se empolgou, e começou a se dedicar somente à pintura. Até que, em uma mostra feita 10 anos depois, vendeu apenas uma tela.

Foi aí que começou a trabalhar com restauração. Conheceu o professor de pintura, Oswaldo de Freitas, que o incentivou a entrar no restauro de obras. “Tinha muita afinidade com ele, que foi me ensinando passo a passo do que fazer. Fui a vários lugares e realizei muitos trabalhos com ele”, observa Linaldo.

Recebeu convites para fazer restauros em Miami, nos Estados Unidos. Lá, pode se aperfeiçoar no assunto. “Visitei museus e galerias. Sempre mantenho contato com outros artistas em feiras e encontros para estar atualizado”. Comandou, ainda, serviços de recuperação de obras de arte na Associação Comercial de Santos (algumas delas de Benedito Calixto) e no Colégio São José.

Serviço – A exposição Real Momento ocorre no foyer do Teatro Municipal (Avenida Pinehiro Machado, 48, de segunda a sexta, das 14 às 18 horas. Até 6 de outubro. Entrada franca.

 

 

Boqnews

Enhanced by Zemanta

A irreverência de Ivald Granato tinge as paredes da Pinacoteca

Carioca, nascido em Campos, em 1949. Pintor, gravador, desenhista, ator e artista multimídia Ivald Granato começou a desenhar na adolescência sob influência de pintores cubistas. Teve uma formação acadêmica estudando pintura com Robert Newman e depois, uma breve passagem pela Escola de Belas Artes.
De Granato se pode esperar todas as formas de expressão artística e em sua produção são frequentes as referências autobiográficas. Foi duas vezes premiado  (1979 e 1982) como o melhor desenhista do ano pela Associação Paulista dos Críticos de Arte – APCA. Desde a década de 1970, realiza performances e intervenções, recorrendo à fotografia e ao vídeo para documentá-las. No início da década de 1980, participou de eventos com a Banda Performática, do artista José Roberto Aguiar, que associa pintura, música, teatro e circo. Como ator, já se apresentou no teatro com peças como “O Urubu Eletrônico” e “Ciccilio Matarazzo em Mitos Vadios”.
Ivald Granato realizou individuais no Museu de Belas Artes do Rio de Janeiro e no Museu Brasileiro da Escultura.  Atualmente, participa da coletiva itinerante Futebol pela Paz, organizada em parceria pelas  ONGs  Non-Violence Project Foundation e Base Brasil, ao lado de Yoko Ono e muitos artistas brasileiros. A mostra é um prega a paz e vai percorrer as 12 cidades sede da Copa do Mundo de 2014, para levantar fundos e capacitar professores para as escolas públicas e unidades da Base Brasil.
Para o público santista tudo será novidade, já que as 70 obras que integram a mostra nunca foram vistas por aqui. A coleção gráfica inclui litografias, gravuras sobre papel e tela.
Exposição de Ivald Granato
Aberta ao público- de 14 de setembro a 7 de outubro, de terça a domingo, das 9 às 18 horas
Visitação livre e gratuita
Boqnews

Romero Britto na Pinacoteca Benedito Calixto

Badalado, prestigiado, reconhecido. Este artista pernambucano, de 49 anos, coleciona prêmios e sua obra está presente no acervo de mais de 100 galerias pelo mundo e em coleções de  admiradores famosos, como o senador americano Ted Kennedy, Madonna e o tenista André Agassi.

O estilo de Romero Brito traz composições inusitadas e passeia por cores vibrantes. O resultado é tão alegre e positivo que cruzou a fronteira das artes plásticas e, hoje, é uma pintura aplicada na moda, em peças publicitárias da Pepsi-Cola, IBM, Disney e Apple, embalagens e carros.

A mostra de Romero Brito será inaugurada na Pinacoteca Benedicto Calixto, no dia 12 de abril, às 19h30, com coquetel para convidados e poderá ser vista pelo público até o dia 6 de maio.

 

Av. Bartolomeu Gusmão, 15
(13) 3286-2184

Artistas fazem mutirão para pinturar muro do CT Rei Pelé

 

Um grupo de artistas está reunido neste final de semana para o Muritão de Arte Transbrasa – Nós Amamos o Santos para a pintura do muro do CT Rei Pelé. Todos colaborarão com o projeto “100 anos de Futebol Arte”, do artista Paulo Consentino. As atividades seguem até as 17 horas. Neste domingo, oa trabalhos terão início às 9 horas.

 A iniciativa faz parte das comemorações do centenário do Santos FC. Para participar, os 30 artistas passaram por um “treino” na workshop comandada por Consentino, aprendendo as técnicas utilizadas. “Pretendemos completar o muro da Rua Francisco Manoel, com as décadas de 60 e 70, e depois, no final de semana da comemoração do Centenário, nos dias 14 e 15, concluir a parte da Rua Rangel Pestana, dos anos 80 até o dias de hoje”, explica Consentino.
Vários artistas, inclusive de outras cidades e até outros estados prestigiarão as atividades. “É uma satisfação enorme participar de um projeto que envolve amor, arte e homenagem ao Santos FC”, diz o artista gráfico de Joinville (SC), Eduardo Bezerra Feitosa.

O grafiteiro do Grupo OPNI Graffitti, de São Paulo, Val Alafiá, também destaca a importância da atitude, junto à paixão pelo Clube. “O Santos é o meu time do coração e a arte é a minha vida. Sem coração, a vida não acontece e, por isso, com muito amor estou fazendo parte dessa história de 100 anos. Orgulho de ser santista”, destaca.

A artista plástica Mai-Britt Wolthers pinta outro estilo completamente diferente do trabalho de Consentino, mas “embarcou” no projeto para prestigiar a iniciativa. “Estou nessa porque o Paulo é um grande artista e porque sou mais Santos”, ressalta. “Achei a ideia tão sensacional e corajosa, que não perdi a oportunidade de ajudar assim que foi preciso”, acrescenta a artista Monica Figo.

A Obra

Iniciada no dia 14 de abril do ano passado, a pintura do muro do CT Rei Pelé já tem várias gerações. O Projeto “100 anos de Futebol Arte” vem registrando toda a história de conquistas do clube por décadas, evidenciando craques e equipes. O patrocínio master é da Suvinil Tintas e Apsen Farmacêutica e os torcedores também podem colaborar, adquirindo o kit do Projeto, contendo camisa especial, DVD, gravura da Vila Belmiro e certificado de patrocinador da ação.
A Tribuna
Enhanced by Zemanta

Oficina de Pintura

Em parceria com as Oficinas Culturais do Estado de SP a Pinacoteca realiza mais um curso aberto e gratuito de pintura a óleo, com vagas para 20 alunos, com idade acima de 16 anos. Sob coordenação da professora Bel Braga, as aulas serão voltadas para a análise do Impressionismo, com apresentação dos trabalhos de Monet, Renoir, Van Gogh, entre outros representantes deste importante movimento artístico.

Depois de discutidos as técnicas e os conceitos, cada participante poderá produzir as suas próprias obras considerando cores, pinceladas, luz e sombra dos pintores apresentados nas aulas teóricas.

A Oficina de Pintura será realizada no Salão Verde, de 29 de fevereiro a 30 de março, às quartas e sextas, das 14h00 às 17h00. Maiores informações pelo telefone 13 3288-2260.