15 Coisas que Você Precisa Saber Sobre o VLT

17715

1 – O VLT será integrado aos ônibus?

Sim. Se você estiver num ônibus metropolitano, o embarque no VLT será gratuito. Se você estiver numa linha municipal, pagará somente a diferença na integração.

 

2 – O VLT vai passar nos antigos trilhos da linha do trem?

Sim. Do Terminal Barreiros até o Morro do Itararé, o VLT circulará no canteiro central, na faixa da antiga linha férrea, contornará o Morro até o Canal 1 e retornará ao canteiro central na Francisco Glicério, onde irá até a Conselheiro Nébias. Daí, seguirá pela linha férrea para adentrar a região do Porto.

 

perspectiva1

 

3 – Como ficam as Feiras Livres de  Sábado e Domingo em Santos?

Nada vai mudar. A operação do VLT não vai interferir na realização das feiras livres, permitindo o acesso a elas.

 

4 – Onde vou comprar a passagem do VLT?

Nos postos credenciados,. Não haverá cobradores dentro do VLT.

 

5 – O VLT vai circular junto a pedestres,carros e bicicletas?

Sim. O VLT é um veículo urbano e vai circular com segurança entre automóveis, bicicletas e pedestres. Haverá inclusive ciclovia, bicicletários e paraciclos em seu trajeto.

 

6 – O VLT funciona em caso de queda de energia?

Sim. O VLT possui um sistema altamente confiável de alimentação de energia elétrica. Em casos de emergência, ele será conduzido até a estação mais próxima por meio de baterias.

 

7 – Qual o tamanho do VLT?

Cada VLT tem 45 metros de comprimento e possui 7 módulos interligados com passagem de um para outro. Os veículos podem transportar até 400 pessoas.

 

8 – O trilho do VLT dá choque?

Não o VLT é alimentado por rede aérea suspensa, semelhante aos bondes.

 

9 – Quanto tempo o VLT vai demorar para passar nos cruzamentos? Vai ter cancela?

A passagem do VLT pelos cruzamentos não vai ultrapassar 9 segundos. Não haverá cancelas e sim semáforos que organizarão o fluxo de pedestres, ciclistas e veículos.

 

10 – O VLT é acessível a pessoas com deficiência?

Sim. O piso do VLT é baixo no nível da estação de embarque. Todos os veículos terão assentos reservados para idosos, e espaço para cadeirantes e obesos.

 

Prototipo VLT

 

11 – O VLT vai poluir o ar?

Não. O VLT é elétrico, com emissão zero de poluentes na atmosfera. Além disso, é silencioso e não provoca vibrações no solo.

 

12 – O VLT atenderá as outras cidades além de Santos e São Vicente?

Sim. O primeiro trecho do VLT – Barreiros/Porto, já está em obras e vai atender Santos e São Vicente. Mas o VLT vai além: a ligação entre Santos e Guarujá,via túnel, está em estudo; e o trecho Samaritá e Tatico na Praia Grande se encontra em fase de projeto.

 

13 – Quando a população poderá usar o VLT?

Os primeiros testes do VLT serão feitos a partir de julho de 2014. Em 2015 a população já poderá usar o VLT.

 

14 – Por que o VLT na Baixada Santista?

O VLT é um veículo elétrico leve, não poluente, de piso baixo, de fácil inserção urbana com custo e capacidade de transporte mais adequados ao atendimento da demanda prevista na Baixada Santista de até 80 mil passageiros/dia.

 

15 – Conheça o traçado do trecho em obras.

viatrolebus

 

 

Fonte: EMTU

Enhanced by Zemanta

Secretaria de Desenvolvimento Metropolitano reedita obra que registra importância e beleza da região da Baixada Santista

livro
No próximo dia 7 de dezembro, a partir das 19 horas, na Pinacoteca Benedicto Calixto, a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Metropolitano, por intermédio da Agência Metropolitana da Baixada Santista (Agem) e a Imprensa Oficial do Estado de São Paulo apresentam ao público a reedição do livro Patrimônio histórico, cultural e natural, obra que destaca a importância histórica de nove cidades do litoral paulista, bem como mostra a beleza natural e o valor cultural da região metropolitana da Baixada Santista. As cidades destacadas pela obra são Bertioga, Cubatão, Guarujá, Itanhaém, Mongaguá, Peruíbe, Praia Grande, Santos e São Vicente.

Os registros fotográficos dos monumentos históricos e arquitetônicos e da diversidade natural da região foram assinados por Marcos Piffer. Os textos concisos revelam cinco séculos de história da região metropolitana da Baixada Santista, com dicas preciosas para turistas, estudiosos, pesquisadores, gestores, e são de autoria de Taís Assunção Curi Pereira. O design da obra ficou por conta de Mônica Mathias.

Para cada cidade retratada há também uma apresentação breve, muitas das quais recheadas de conteúdo histórico, escrita por seus administradores: prefeitas e prefeitos. O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin; o secretário de Estado de Desenvolvimento Metropolitano, Edson Aparecido, o secretário-adjunto de Estado de Desenvolvimento Metropolitano e coordenador do Projeto Patrimônio histórico, cultural e natural, Edmur Mesquita; e o diretor-presidente da Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, Marcos Monteiro, entre outros, registraram nas primeiras páginas do livro as impressões sobre a obra e a sua importância para a cultura do País.

Da primeira cidade retratada – Bertioga –, o leitor verá descrito o canal; o Forte de São João; a beleza de suas praias; as trilhas, os rios, as vilas e a cultura indígena. São 22 páginas que poderão ser apreciadas com atrativo visual do mais alto apuro técnico.

Cubatão é o segundo município. O Largo do Sapo; a Biblioteca Municipal; a Vila Light, sua flora e fauna são mostrados de maneira a registrar o potencial de um dos mais importantes patrimônios históricos e arquitetônicos do Brasil: a estrada conhecida como Caminho do Mar, herança da época imperial.

As 26 páginas seguintes são dedicadas a Guarujá. O moderno e o rústico são retratados para mostrar a beleza da localidade, com suas 27 praias, que somam mais de 22 km de extensão, apresentando características bem variadas. A obra traz informações preciosas para quem pretende conhecer a cidade.

O centro histórico de Itanhaém; a Casa do Olhar Benedicto Calixto; a Biblioteca Poeta Paulo Bomfim e tantos outros espaços foram fotografados e compõem essa obra que mostra a riqueza da cidade. São 20 páginas com muita cor e conteúdo descritivo da história local.

A beleza do Parque Turístico Ecológico de Mongaguá está registrada nas páginas dedicadas a esta cidade, que também conta com uma rica zona rural. Há muitas alternativas de passeios ecológicos, como o Poço das Antas às margens do Rio Mongaguá. Para aqueles que quiserem saber mais sobre a história da cidade, o endereço é a Casa da Memória, espaço cultural que reúne grande acervo de fotografias, arte sacra e documentos.

A história, a beleza e a riqueza de Peruíbe ilustram 22 páginas desta obra que faz um traçado completo da cidade, que se orgulha de ter sob seus domínios parte da Estação Ecológica Jureia-Itatins, com 80 mil hectares de Mata Atlântica preservados. Monumento histórico-cultural de importância nacional, as Ruínas do Abarebebê são originárias de uma das primeiras igrejas construídas pelos jesuítas no Brasil, no século XVI. Foto de parte dessa ruína compõe a capa deste livro.

Muito popular entre os paulistanos, a Praia Grande tem papel de destaque no cenário econômico da região metropolitana da Baixada Santista. O leitor poderá mergulhar na história da cidade e conhecer os pontos turísticos principais, sua força cultural e importância ambiental.

A cidade de Santos foi detalhadamente registrada, dada a sua importância para toda a região. Quarenta e seis páginas, com muita ilustração e texto mais robusto, contam a história de diversos monumentos, espaços, lugares, bem como a sua flora e fauna.

A última localidade a ser retratada é São Vicente. O Parque Cultural Vila de São Vicente, a Casa Martim Afonso, o Monumento ao Centenário da Fundação de São Vicente, a Igreja Matriz, a Biquinha de Anchieta e tantos outros lugares estão registrados em Patrimônio histórico, cultural e natural. Uma viagem ao tempo pode ser feita por meio das 20 páginas dedicadas à cidade mais antiga do nosso País.

Patrimônio histórico, cultural e natural

Noite de Autógrafos
Quando: sexta-feira (7), às 19 horas
Onde: Pinacoteca Benedicto Calixto, à Av. Bartolomeu de Gusmão, 15
Preço: R$ 90,00 (capa dura) e R$ 70,00 (brochura)

 

Boqnews

Enhanced by Zemanta

Ônibus do Roda SP chegam à Região com roteiros a R$ 10,00

Os ônibus double deck do Roda São Paulo chegam à Baixada Santista na próxima semana. O projeto possibilita ao visitante que faça passeios e conheça pontos turísticos das oito cidades praianas da Baixada Santista a um custo de apenas R$ 10,00. Os veículos chegam no próximo dia 15 e permanecerão na Região até o dia 5 de fevereiro.

Ao comprar a passagem, o viajante ganha uma pulseirinha, válida para ser usada por dois dias seguidos, e poderá escolher entre as rotas Amarela, Azul, Laranja, Rosa, Roxa, Vermelha e Verde e visitar pontos turísticos da região através do programa. As linhas passam por Peruíbe, Mongaguá, Itanhaém, Praia Grande, São Vicente, Santos, Guarujá e Bertioga.

Rota Amarela – Funcionará todos os dias, com saídas programadas de 45 em 45 minutos, das 9h às 16h45. O itinerário começa em São Vicente, na Biquinha, passando pelo teleférico da cidade, onde haverá a opção do viajante conhecer o Monumento de Niemeyer, na Ilha Porchat. Chegando a Santos, os passageiros poderão descer na praia do Gonzaga, próxima à praça das Bandeiras. O ônibus ainda passará pelo Áquario da cidade e finalizará o trajeto na Balsa que leva ao Guarujá, na Ponta da Praia.

Rota Azul – Também parte da Biquinha, em São Vicente, rumo à Praia Grande. Lá, os turistas poderão conhecer as praias do Canto do Forte, do Boqueirão e de Ocian, passando pela Praça Duque de Caxias, pela Praça da Paz e pela Estátua de Netuno, respectivamente. Essa linha funcionará às terças, quintas, sextas-feiras e aos domingos, com saídas de 1h em 1h, das 9h às 17h.

Rota Laranja – Sai da Praia de Ocian, na Praia Grande. Chegando a Mongaguá, os ônibus passarão pela Praia Central, que dá acesso ao Poço das Antas, pela Feira das Artes e pela Plataforma Marítima de Pesca Amadora, junto ao Parque Ecológico “A Tribuna”. Este percurso estará disponível às segundas, quartas-feiras e aos sábados, com saídas a cada 1h10, das 9h às 17h10.

Rota Rosa – Parte da Plataforma Marítima de Pesca Amadora, junto ao Parque Ecológico “A Tribuna”, indo em direção a Itanhaém. Neste município os viajantes do ônibus poderão conhecer a Igreja Matriz Sant’anna, onde onde está o Monumento Anchieta, e também poderão descer na Cama de Anchieta e na Praia de Cibratel. Esta opção de linha funcionará às segundas, quartas-feiras e aos sábados, com saídas de 1h em 1h, das 9h às 16h.

Rota Roxa – Estará disponível às terças, quintas, sextas-feiras e aos domingos, com saídas a cada 1h15, das 9h15 até às 16h45. Ela derá aos participantes a chance de conhecer pontos turísticos do Guarujá, saindo da balsa. Os viajantes poderão descer nas praias do Tombo, das Astúrias, das Pitangueiras, da Enseada (parando no Acqua Mundo e depois no Tortugas). Nesse momento, uma troca de ônibus acontecerá, continuando o trajeto pelas praias do Pernambuco, do Perequê e Branca, na divisa com Bertioga, finalizando o trajeto.

Rota Vermelha – Essa linha terá Bertioga como seu roteiro. Os ônibus sairão do Forte São João, na balsa que liga a cidade com Guarujá, passando pelo Sesc do município e terminando a viagem em Riviera de São Lourenço. Funcionará às terças, quintas, sextas-feiras e aos domingos, de 1h em 1h, das 9h às 17h.

Rota Verde – Ela parte da Praia do Cibratel, rumo a Peruíbe. O itinerário prevê passagens pelas Ruínas de Abarebebê, pela Praia Central e pelo Lamário. Esta linha estará disponível às segundas, quartas-feiras e aos sábados, a cada 1h15, das 9h às 16h30.

Integração das rotas:

A novidade nessa edição do Projeto, promovido pela Secretaria Estadual de Turismo, é a integração dos caminhos por onde os ônibus passarão. Se, por exemplo, o viajante pegar a Rota Rosa, que parte de Mongaguá, ele terminará o percurso na Praia do Cibratel, em Itanhaém. Ao invés de voltar para o ponto de partida, ele poderá iniciar o trajeto da Rota Verde, cujo destino é Peruíbe, sem precisar comprar outra passagem. Confira os pontos de cruzamento:

Biquinha – São Vicente: Rotas Amarela e Azul

Balsa – Guarujá/Santos: Rotas Amarela e Roxa

Plataforma Marítima de Pesca Amadora – Mongaguá: Rotas Laranja e Rosa

Praia do Cibratel – Itanhaém: Rotas Rosa e Verde

Balsa – Bertioga/Guarujá: Rotas Roxa e Vermelha

 

 

Enhanced by Zemanta

SRCVB