Obras de arte, jazigos se destacam nos cemitérios

Os três cemitérios municipais abrigam túmulos de personalidades ilustres da cidade e também se destacam por jazigos feitos com materiais nobres, como mármore e bronze, que são verdadeiras obras de arte. No cemitério do Paquetá, inaugurado em 1854, há 26 campas tombadas pelo Condepasa (Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Santos), entre elas as de Martins Fontes, Benedicto Calixto, Vicente de Carvalho, comendador Manoel Joaquim Ferreira Neto, que construiu os casarões do Valongo, e Galeão Carvalhal, advogado abolicionista.

Esta última, por exemplo, é em granito sem polimento, com anjos e uma figura humana desolada esculpida em bronze. O túmulo de Calixto, em granito bruto, tem pedestal e escultura em bronze com o rosto do pintor ladeado por dois brasões. A necrópole do Paquetá abriga também os jazigos do ex-governador Mário Covas; ex-prefeito Esmeraldo Tarquínio; fundador do jornal A Tribuna, Olímpio Lima; e do fundador do complexo educacional Santa Cecília, Milton Teixeira, morto recentemente.

No cemitério da Filosofia (conhecido como Saboó), fundado em 1892, há túmulos muito visitados por serem considerados milagrosos, como o de Maria Féa, morta em 1928, que possui uma capela em granito com dois anjos, e da menina Jandaia, que morreu em 1939 ainda bebê. Já no cemitério da Areia Branca, fundado em 1953, também há campas que atraem visitantes pelo mesmo motivo, como a do menino Onofre e das meninas Condília e Dulcinéia.

Enhanced by Zemanta

Cemitérios de Santos recebem preparativos para o Dia de Finados

Os três cemitérios municipais estão recebendo nesta semana os últimos serviços de manutenção para receber os milhares de visitantes a partir de sexta-feira, Dia de Finados. Durante o feriado de 2011, cerca de 60 mil pessoas fizeram homenagens póstumas aos seus parentes e amigos nos cemitérios do Paquetá, Filosofia (Saboó) e Areia Branca, em Santos.

Os funcionários da Secretaria Municipal de Serviços Públicos reforçaram as atividades de retirada de mato, pintura, varrição e limpeza geral das alamedas.  No cemitério mais antigo, o do Paquetá, esta semana terá poda de árvores, recuperação de guias e pintura do muro, como também nos bancos e porta da capela.

Nos últimos dias, ocorreram no local a substituição de oito lixeiras e obras de drenagem por 50 metros no corredor paralelo à Rua Amador Bueno. Nesta via e na Rua São Francisco, a CPFL reforçou a iluminação, com a colocação de braços extras nos postes voltados para dentro do cemitério.

Por sua vez, o maior dos cemitérios, o da Areia Branca, já tem pintadas a sala administrativa e a recepção. O muro recebe nova pintura e o jazigo 5 passa por obras de reconstrução de 360 sepulturas de parede, que estavam com a estrutura deteriorada.

No Saboó, os muros, paredes e guias recebem retoques de pintura, e outros serviços vão continuar após o feriado: construção de dois banheiros para deficientes físicos e pintura no prédio administrativo.

Missas

Na sexta-feira, o bispo Dom Jacyr Francisco Braido celebrará missa às 8 horas no Cemitério do Paquetá, ondehaverá missas às 10 e 15 horas.

Na Areia Branca, haverá missas às 9 e 16 horas. No Saboó, terão celebrações às 8, 10 (presidida pelo bispo), 12, 14 e 16 horas. Todos os cemitérios estarão abertos das 7 às 18 horas.

Já a Memorial Necrópole Ecumênica de Santos funcionará das 8 às 19 horas, tendo missas às 11 e 19 horas.

 

 

A Tribuna