Tocando Santos traz Orquestra e Coro do Conservatório de Tatuí

TATUI

Em sua 19ª Edição, o projeto Tocando Santos traz para a Cidade a Orquestra e Coro Sinfônicos do Conservatório de Tatuí, em apresentação que acontece neste domingo, às 18h, no Teatro do Sesc-Santos.

A Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí é um equipamento da Secretaria de Estado da Cultura e do Governo de São Paulo. Foi criada em 1985 para dar suporte à performance dos estudantes da área de cordas sinfônicas da instituição.

O Coro Sinfônico do Conservatório de Tatuí foi fundado em 1988, e é formado por cerca de 30 alunos bolsistas e professores-monitores da instituição. Ambos os grupos são formados por professores e alunos bolsistas, dando a estes últimos a oportunidade de oferecer uma ampla experiência do repertório sinfônico.

O regente da orquestra é João Maurício Galindo, acompanhado de Cadmo Fausto, regente do coro.

Os ingressos variam entre R$2 a R$8. O endereço é Rua Conselheiro Ribas, nº 136, na Aparecida.

 

A Tribuna

Maestro Roberto Farias é homenageado no Projeto Tocando Santos

maestro-roberto-farias

O maestro Roberto Farias, coordenador dos Grupos Artísticos de Cubatão, será homenageado no próximo domingo (7) na 19ª edição do Projeto Tocando Santos. Será às 18h, no Teatro do Sesc/Santos (Rua Conselheiro Ribas, 136). O maestro receberá uma placa comemorativa da coordenação do Projeto.

A ideia é celebrar a contribuição musical do maestro Roberto, conhecido em todo o Brasil por difundir o repertório direcionado para banda sinfônica, tão importante para Cubatão e toda a Baixada Santista, de acordo com informações de Cláudio Fernandes, diretor técnico da Agência Metropolitana, que produz o evento. O Projeto já homenageou nomes como Almeida Prado e Gilberto Mendes em anos anteriores.

A homenagem acontece na noite de gala do “Tocando”, entre uma e outra canção da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal de São Paulo, que estará acompanhada pelo Coral Lírico Municipal, sob a regência do maestro Luis Gustavo Petri.

Maestro por vocação – Roberto Farias poderia ter sido engenheiro ou arquiteto se prevalecesse o conceito ditado à época de sua infância e adolescência. Mas o dom musical que aos 7 anos já demonstrava, mudou completamente a visão daqueles que ainda não o apoiavam na carreira artística. Músico de tradição evangélica – seu pai era pastor, amante das letras e músico autodidata – teve a formação musical através de professores particulares, e durante a escola primária ganhava destaque tocando hinos patrióticos e canções escolares ao trompete. Aos 11 anos fez seu primeiro arranjo musical.

Durante os primeiros anos da carreira, Farias já produzia o próprio repertório, transcrevendo arranjos completos e obras originais, em uma época em que não existiam arranjos para banda disponíveis no mercado. Da sua sólida formação como regente inspirou-se em nomes como Paul Bernard, Williams Nichols, Gerard Devos, Fábio Mechet e o célebre Eleazar de Carvalho. Vencedor de um grande número de concursos e campeonatos de bandas em nível regional, estadual e nacional, Roberto Farias foi um dos responsáveis pelo desenvolvimento da linguagem sinfônica no Brasil, a partir do momento que se vê envolvido com o projeto de profissionalização da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, da qual foi o diretor artístico e regente entre 1989 e 2000.

Por mais de 20 anos lecionou na Universidade Livre de Música Tom Jobim, hoje a Emesp – Escola de Música do Estado de São Paulo. Já foi regente convidado de várias orquestras brasileiras, acumulando, também, atuações no exterior como na Banda Sinfônica da Universidade da Pensilvânia, da Academia da Força Aérea Norte-americana, de Montevideu e da Província de Córdoba, na Argentina.


De volta onde tudo começou – Diretor de orquestra, regente coral e instrumentista, Roberto Farias atualmente é o coordenador dos Grupos Artísticos de Cubatão. Está à frente da Banda Sinfônica e Cia de Dança de Cubatão, Banda Marcial e Corpo Coreográfico, Grupo Rinascita de Música Antiga, Coral Zanzalá e Coral Raízes da Serra. Para ele, é uma grande responsabilidade e prazer comandar mais de 300 artistas, entre regentes, músicos, bailarinos e cantores, que fazem arte com paixão, tornando cada vez mais evidente a vocação artística de Cubatão, cidade que em que tudo teve início.

Prefeitura Municipal de Cubatão

Enhanced by Zemanta